terça-feira, 12 de agosto de 2008

Funcionalistas e o jornalismo de entretenimento

Para a jornalista da Gazeta do Povo, Helena Carnieri, o jornalismo de entretenimento, como o que trata de fofocas ou eventos esportivos, pode ser informativo a alguns leitores. Dentro da teoria do funcionalismo, esses grupos são influenciados por escolhas pessoais, o que modificaria a sua recepção em relação a outros.
Em seu texto “Teorias da Comunicação: Hipodérmicos tardios versus funcionalistas inconscientes”, Juremir Machado da Silva afirma que tanto a teoria funcionalista quando a hipodérmica concordam em um ponto, de que os meios de comunicação atendem a uma necessidade. Mas para os funcionalistas o receptor tem a capacidade de escolher as informações de acordo com essas necessidades. “Um empresário do ramo de casas noturnas se informa na coluna de baladas para saber o que agrada a seu público, e o mesmo com um agente de marketing esportivo quando lê o caderno de Esportes”, completa Helena.

Anelise Caparica, Mariana Scoz, Talita Corrêa.

Nenhum comentário: