quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Longe dos extremos

O maniqueísmo certamente não funciona para definir a corrente teórica do jornalista José Carlos Fernandes, da Gazeta do Povo. A intransigência dos hipodérmicos e a inconsciência dos funcionalistas não passam perto de José Carlos, que se esquiva com admirável jogo de cintura das características mais duras inerentes a cada teoria. Baseado nos conceitos de Juremir Machado da Silva, retirados do texto Teorias da Comunicação: Hipodérmicos tardios versus funcionalistas inconscientes, tem-se que garimpar algumas características de cada corrente para se aproximar do posicionamento de José Carlos. Esses conceitos foram aplicados na análise das respostas de uma pequena entrevista feita com o jornalista.
Ao dizer que “Existe uma indústria do entretenimento, e essa indústria engloba também o jornalismo”, José Carlos pode ter demonstrado – a olhos sedentos por uma definição – um traço funcionalista.
Vale ressaltar a atenção da equipe em relação ao seguinte trecho do texto base durante a produção dessa análise: “A menor crítica é rechaçada como ressentimento” (pelos jornalistas).

Equipe: Mariana Alves, Gustavo Yuki, Guilherme Binder, João Guilherme Frey

Nenhum comentário: