quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Mediação

O texto explica a mídia como um processo de mediação. Algo que envolve o movimento de sentido entre eventos, discursos e textos. Os significados se transformam constantemente, e todos nós direta ou indiretamente, somos parte de sua produção.
Silverstone se utiliza de uma análize de George Steiner, comparando Mediação com tradução. Ambos em constante estado de transformação, que nunca está completo. Há diferenças, também. Enquanto a tradução é um trabalho de autoria, a mediação envolve grupos, tecnologias e instituições, perdendo assim, a busca pelo sentido original. Mediação é mais aberta, e portanto, talvez, vulnerável a abusos.
Por meio de um exemplo, o autor coloca que, mesmo surgindo de boa-fé, um produto da mídia pode falhar em traduzir um sentido devido justamente a essa vulnerabilidade. Quando os agentes mudam, quando há o contato entra as realidas do produto e da mídia, rompem-se significados anteriores, enquanto novos se impõe.
Finalmente, a afirmação de que é preciso compreender o processo de mediação, e saber onde o processo falha, e quando é distorcido.

Nenhum comentário: