quinta-feira, 28 de agosto de 2008

O simulacro que inverte valores.

Para o filósofo francês Jean Baudrillard a sociedade contemporânea passa por uma espécie de crise de identidade. Isso porque o indivíduo vivencia e acredita em uma concepção de realidade falaciosa. A partir disso o autor expõe que “não vivemos mais a nossa própria realidade, mas apenas referências ou ilusões dela mesma, que são os chamados simulacros”. Devido a essa condição, determinados valores se apresentam como sendo fundamentais para os indivíduos pós-modernos, como é o caso do culto exacerbado ao corpo. Em análise de quatro edições da revista NOVA, esse aspecto foi percebido através das chamadas que as capas expõem. Em todas elas há referências ao sexo, à estética, à moda e a um padrão de beleza que deve ser seguido. Relaciona-se a tais características uma das idéias expostas por Baudrillard em seu livro “O mais belo objeto de consumo: o corpo”. Nele o autor argumenta que o corpo tornou-se um objeto de “troca e de consumo” e que as representações que dele temos são socialmente construídas.





Time: Claudia Guadagnin, Daniel dos Santos, Fernanda Giotto Serpa, Guilherme Mélo, Tatiana Olegario.

Nenhum comentário: