quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Por uma outra comunicação - Ramonet

Apresentando de maneira embasada uma nova proposta de jornalismo e de produção editorial, Ramonet discorre, no texto “O poder midiático”, sobre as principais características da mídia atual e sobre o que fazer para reverter, ou ao menos reduzir, os efeitos que ela traz à sociedade. No início do texto, o autor introduz a atual conjuntura pela qual passamos: a difusão das esferas comunicacionais, que antes podiam ser facilmente divididas em grupos. Hoje, de acordo com
Ramonet, é muito complicado encontrar a separação entre o que é informação, o que é a atividade da comunicação institucional e o que é cultura de massa. Além disso, já não se pode mais segmentar mídias que apresentam texto, imagem e som, uma vez que os principais meios de comunicação mesclam essas três formas de transmissão da informação.

Ramonet também dá importante destaque à fusão de grandes empresas de comunicação, que se uniram com o objetivo de angariar mais e mais consumidores. Consumidores pois, como também foi dito, a notícia, a informação, são essencialmente mercadorias, servindo basicamente como fonte de lucros. O poder econômico e financeiro, que são responsáveis pelo patrocínio das mídias, aliado ao poder midiático acabam desempenhando uma preocupante função: A de ser o aparato ideológico da globalização, ou seja, agir para que os cidadãos adquiram a ideologia do mundo globalizado.

Outro importante aspecto abordado pelo autor refere-se às formas como hoje a informação é difundida: de maneira imediata, sem muitos aprofundamentos sobre aquilo que se está falando. Além disso, a linguagem utilizada deve ser fácil, para que a absorção se dê pela maior parte do publico. Deve-se, ainda, apresentar a notícia de forma dramatizada, pois isso atrai a atenção do receptor. Resumindo, Ramont defini essas formas de apresentação da noticia como sendo infantis, uma vez que são as mesmas maneiras utilizadas para a comunicação com crianças.

Com o intuito de mudar a cara do jornalismo, ou melhor, com o intuito de resgatar o principio e ideal do jornalismo, Ramonet apresenta maneiras de como deve ser o contra discurso midiático. Em primeiro lugar deve-se ter sempre o compromisso com a verdade. Ela só, no entanto, não basta. É necessário que venha acompanhada da maneira correta de se dirigir ao publico e, portanto, de se atingir esse publico.

Ramonet demonstra que esse tipo de jornalismo tem adeptos e que tende a crescer. Para isso apresenta o crescimento do numero de leitores do jornal Le Monde, que, depois de adotar esses princípios, teve o numero de leitores duplicado. Ele demonstra que o jornalismo sério, de verdade, com qualidade e critérios definidos pela sociedade, pautados pela essência jornalística, tem espaço na mídia atual.

Daniela Gorski, Francieli Santos, Iara Martins, Karin Sampaio e Tabata Viapiana

Nenhum comentário: