segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Valor da mudança

A identidade é formada a partir do momento em que nos aproximamos de elementos que passam a determinar nossa essência. Para Stuart Hall, o homem atual passa por um conflito de identidade, por não possuir uma apenas, coerente e segura. A sociedade moderna vive a mudança constantemente, diferindo daquelas que se prendiam à tradições. Isto determina uma mudança estrutural e, segundo Hall, fragmenta os indivíduos em âmbitos culturais de classe, gênero, sexualidade, etnia, raça e nacionalidade.
Um local onde se identificam os curitibanos é a Rua XV. Todos os dias passam por ela pessoas de diferentes classes sociais, realidades, raças, idades. Cada passante tem um objetivo diferente em atravessar a rua, entretanto, todos têm este local como um ponto de identificação. Cada passante, ou artista de rua, cada um dos personagens transmite uma sensação de semelhança, por fazerem parte de um mesmo cotidiano, de um mesmo contexto. E mesmo tendo tantas diferenças, todos vêem um no outro uma parte de si.
Alguns teóricos definem a identidade descentralizada como algo negativo, que desestrutura a sociedade e faz com que valores e tradições se percam. Mas prefiro lembrar que, ao nos desgarrarmos do passado, e ao considerarmos como próximo de nossa essência diferentes elementos, não seremos sempre os mesmos. Assim, dando espaço ao novo, talvez aumentemos nossa capacidade de tolerância, pois não só entenderemos diferentes realidades, como as carregaremos conosco.


Adriana Vieira, Gabriella Hollas, Raquel Leite.

Nenhum comentário: