quinta-feira, 30 de outubro de 2008

A construção da identidade nos meios de Comunicação: a importância da discussão de centro e periferia

Baseado no texto:

A Periferia se Reconhece no Programa “Central da Periferia”? Análise de Recepção dos

Jovens do Território de Oportunidades da UFJF e Projeção Identitária.

Fernanda Coutinho Sabino2

Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG


A autora do estudo analisa como a população periférica se identifica (se é que ela se identifica) com a temática do programa Central da Periferia da Rede Globo.

Mais importante ainda do que a análise que autora faz de tal reconhecimento é a discussão que ela aborda sobre o papel da mídia na construção de identidades modernas. Nesse contexto, a mídia poderia servir como espaço simbólico para discussão do que é cultura de periferia e cultura de centro, dividindo, fragmentando os espaço, mas também integrando um ao outro, sendo também espaço de convergência de tais culturas.

Mas o que acontece é que a mídia atual escolheu exerceu outro papel, a saber: espaço de exclusão, de formação de estereótipos, de espaço que intensifica as linhas delimitativas entre centro e periferia.

Vale algumas exceções como o programa Central da Periferia. Na análise da autora do estudo evidencia-se que os jovens moradores da periferia de Juiz de Fora-MG reconhecem-se no programa, acreditam que ele consegue mostrar e, sobretudo, valorizar a cultura periférica como ela realmente é. Em um dos poucos momentos em que a grande mídia abandona os estereótipos e retrata a realidade periférica de maneira mais imparcial, digo mais porque é escuso dizer que a imparcialidade total é utopia.

O estudo é importante para suscitar o debate sobre a construção identitária na mídia moderna e qual a importância de se discutir a periferia e o centro e suas representações culturais tão distintas e tão complementares.


Letícia Batistella, Rafaela Corrales, Carolina Fornazari

Nenhum comentário: