sexta-feira, 31 de outubro de 2008

O papel mimético da televisão

A leitura do texto “A recepção da telenovela por jovens de classe popular: leituras hegemônicas, negociadas e opositivas”, incita uma análise das telenovelas através do conceito de Mimesis elaborado por Platão. A telenovela funciona como elemento que afasta ainda mais a natureza original das coisas. Uma relação que no atual contexto social brasileiro, serve como fuga da desgraça real tátil do cotidiano. É a mimese de Platão alimentando uma versão tupiniquim do panis et circenses romano. Ou seja, um afastamento da realidade que cuidadosamente superexpõe o povo ao circo para que esqueça a escassez do pão.
É intrigante buscar motivos para a exibição das telenovelas logo após o telejornal. É uma chance que as emissoras dão ao telespectador para escolher a representação de realidade que melhor lhe servir. Pode ser também a oportunidade de mostrar uma realidade que no telejornal não pode ser tão obviamente dramatizada, quanto se é possível na telenovela. Isso é exemplificado no texto base através das opiniões de algumas pessoas analisadas, que com o mesmo olhar que assistem ao jornal, assistem à novela: misturando as duas representações e afastando-se de uma análise crítica. Talvez seja uma vontade imensa de transportar todas as injustiças da vida para fora da realidade. Criar uma Pasárgada mental fundamentada na compreensão televisiva que têm a oportunidade de desenvolver.

Gustavo Yuki, Guilherme Binder, João Guilherme Frey, Mariana Alves

Nenhum comentário: