quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Os espaços que descartam a necessidade do homem Físico

Um espaço de comunicação que descarta a necessidade do homem físico para constituir a comunicação como fonte de relacionamento. Outro espaço, também de comunicação, mas este como fonte de informações, que também descarta a necessidade do homem físico para veincular e propagar uma notícia. Duas idéias que não deixam restar dúvidas de que os meios de comunicação tendem a aproveitar a evolução tecnológica: o cyberespaço e o jornalismo online, ou, o cyberespaço relacionado e interligado ao jornalismo online. O Cibercultura, uma variante do ciberespaço, traz novas possibilidades de atuação nos meios, traz um lidar mais complexo com a produção de conteúdo e traz a manipulação das tecnologias. Para o jornalismo, esse encontro deve ser percebido como um avanço de mudanças históricas e significativas nas práticas da profissão. O surgimento do ciberespaço é o tipo de avanço que faz o meio jornalístico analisar desde a questão da audiência até o que deve ser tomado como critérios de relevância da notícia que antes era decidido pelo recorte da mídia jornalística tradicional. Para o filósofo da informação, Pierre levy, o ciberespaço pode ser visto com uma visão muito otimista, como um mundo das redes digitais como lugar de encontros e de aventuras.
A reunião do texto escrito com o falado se ajeita como uma disposição no jornalismo online contemporâneo. Este pode ser considerado um “evento audiovisual extensivo”, mostrando uma gama de modificações no domínio da produção comunicacional. Os jornais, em seu formato online passam pela velocidade de atualização, rapidez na apuração dos fatos, possibilidade de uma escritura ampla e aprofundamento dos conteúdos. Diante desses fatos tecnológicos, Pierre Levy se apresenta dizendo que “a notícia é o real”. Ele sita a inteligência coletiva dizendo: “O pensamento que se firma através dos conexos, que forma uma “árvore” de conhecimento arquivado através dos meios”. Diz ainda que o ciberespaço é o conjunto de práticas que se desenvolvem no incremento da tecnologia. Mostra que a abertura é um modo de comunicação em forma de pensar, modificado pela tecnologia e que a virtualização da sociedade contemporânea, na visão dos mais otimistas, vai permitir ao indivíduo ser sujeito.

Nenhum comentário: