sábado, 25 de outubro de 2008

Tecnologias: liberdade ou prisão?

Eu poderia muito bem falar de um dia-a-dia onde eu dependa 100% das tecnologias. Mas prefiro fazer o contrário, relatar um dia em que eu fiquei sem Internet, telefone e televisão. Foi um dia realmente complicado. Numa bela tarde de sábado, com alguns trabalhos para fazer, a partir das duas horas de tarde tudo pára na minha casa. A internet não funciona. O telefone está mudo. A TV fora do ar. O que fazer? Olhar para o teto e esperar? Ler um livro? E como dar andamento aos meus compromissos com a faculdade? Muitos problemas que quase levaram ao desespero. Eu pensava comigo: “Eu preciso de Internet, preciso de computador. Eu preciso, eu tenho que dar um jeito”. Logo se percebe a extrema dependência em relação a tecnologia, fiquei de mãos atadas pela falta desses meios. Como agir sem eles? Foi um fim-de-semana nada agradável, já que me obriguei a correr atrás de locais onde encontrasse essa tecnologia. Mas falando de outros dias comuns, sempre estamos rodeados pela tecnologia: geladeira, celular, microondas, internet, celular, som, etc, etc, etc. Somos uma sociedade produzida para consumir tecnologia.

Por Fernanda Giotto Serpa

Nenhum comentário: