quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Web Jornalismo: um novo jeito de fazer jornal?

A web surgiu como extensão do real, como metáfora do real. E assim aconteceu com o jornalismo. O autor do texto aborda a história do jornalismo on line desde os seus primórdios em 1993, nos Estados Unidos, e em 1995 no Brasil.

A plataforma web foi mal utilizada na prática do jornalismo em seu início, servindo apenas de plataforma de reprodução do conteúdo dos jornais impressos. Logo depois surge uma fase intermediária, onde havia a transposição de textos e também havia incorporação de alguns recursos específicos para web. Somente a partir da segunda metade dos anos 90 que começam a surgir publicações que davam atenção especial para o web jornalismo. São as chamadas tres gerações de jornal on line, na última são produzidos recursos hipermidiaticos específicos para o meio eletronico.

Com o avanço da internet, todo jornal de grande porte deve ter um web site que ofereça notícias atualizadas diariamente (não raro em tempo real) e isso vem mudando a prática tradicional do jornalismo. As informações são atualizadas constantemente, o profissional é obrigado a trabalhar num ritmo de apuração mais frenético e corre o risco de não aprofundar a informação de maneira correta.

Recente propaganda do Jornal O Globo tem como slogan a frase “Muito além do papel de um jornal” e afirma que “informação: se existe móvel, nós enviamos”. Como é possível manter um jornalismo de qualidade, com informação apurada, aprofundada em seis linhas de uma tela de celular? É importante pensar a web como novo meio de comunicação e é importante pensar nas características proprias desse meio. Mas não se pode perder de vista a qualidade da informação em detrimento da agilidade na atualização do conteúdo.

Baseado no texto:

O Jornalismo Online Como “Evento Audivisual Extensivo”: O caso do G1, Portal

De Notícias Da Globo1 - Júlia da Escóssia Melo Viana

Link para propaganda do Jornal O Globo:

http://br.youtube.com/watch?v=oRf0AdlXeXQ


Amanda Bahl, Barbara Albuquerque, Carolina Fornazari e Marina Salmazo

Nenhum comentário: