terça-feira, 10 de março de 2009

Conceito de Comunicação

Comunicar significa partilhar, isto é, compartir com alguém um certo conteúdo de informações, tais como pensamentos, idéias, intenções, desejos e conhecimentos. Por via de um ato de comunicação, experimentamos o sentido de uma comunhão com aquele a quem nos dirigimos, porque com ele passamos a ter algo em comum.
Da comunicação interpessoal à comunicação de massa, o ato comunicativo responde a uma necessidade vital de todo homem, qual seja a do comércio de suas experiências e saberes. Dessa forma, ao desenvolver os primeiros meios mecânicos de registro e divulgação de informação – a escrita alfabética e, com Gutenberg, a invenção do tipo móvel – a sociedade humana deu notável salto, imprimindo um rumo tecnológico à transmissão de informações. Tal é a origem de um dos mais complexos fenômenos do nosso tempo: a chamada comunicação de massa. E o fato de tal comunicação pode ser produzida em escala industrial, para um consumo rápido e imediato, não lhe retira qualquer parcela de significação e importância. Muito ao contrário, estudos e ensaios de longa extensão e variável acuidade crítica têm sido dedicados a esta forma especial de comunicação, versando suas implicações ideológicas e políticas, suas incidências sociológicas e mesmo seus efeitos no âmbito da vida cotidiana dos cidadãos.
A comunicação está, portando, na ordem do dia. Voltado para o conhecimento de si próprio e a análise sistemática de suas manifestações expressivas, tem o homem procurado abeirar-se cientificamente da atividade comunicativa, buscando explicá-la e sobre ela refletir, seja no domínio das teorias, seja no plano da existência prática e diária.
A representação simbólica do conhecimento humano e seu conseqüente aproveitamento prático constituem hoje um objeto de estudo, tal como o testemunham, em sua variedade, os currículos das faculdades de comunicação. Para tal efeito, costumava-se caracterizar o processo de comunicação como um ato social no qual intervêm um emissor ou fonte que, com o recurso a um código, elabora (e codifica) uma mensagem, enviando-a por um canal e, num dado contexto, a um receptor ou destinatário (o que codifica e assimila). Sendo a linguagem uma faculdade humana e abstrata de representação de conteúdos, os diferentes códigos de comunicação traduzem suas instâncias concretas, cuja hierarquia institucional é constitutiva da cultura humana.

LITTLEJOHN, Stephen W.; TRINTA, Aluizio Ramos. Fundamentos Teóricos da Comunicação Humana. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.


Equipe: Elisa Z. Catalini, Luiza Miranda Garcia, Saulo C. Schmaedecke
Jornalismo Noturno - Turma U.

Um comentário:

Gaspar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.