quarta-feira, 11 de março de 2009

jornalismo e racismo

O jornalismo brasileiro ainda não sabe lidar com as diferenças existentes na sociedade brasileira. O diretor de jornalismo da Rede Globo, Ali Kamel, chegou a escrever um livro intitulado “Não somos racistas”, onde defende que o brasileiro não pratica preconceito pela cor, mas pelo nível social (rico/pobre).

Por outro lado, é possível afirmar que no Brasil o racismo é apenas disfarçado. Nem mesmo durante o império os políticos defendiam a escravidão, mas o Brasil foi um dos últimos a aboli-la. Os EUA já elegeram um presidente negro, mas Salvador nunca elegeu um prefeito negro. No Brasil, muitas vezes quem toca no assunto do racismo é chamado de racista, sob alegação de que “raças não existem, você é que está falando nisso”.

A imprensa não trabalha, ou trabalha pouco a questão racial, preferindo aderir à corrente do “deixa disso, raças não existem”. Essa negligência por parte do jornalismo brasileiro não colabora para que a questão racial seja resolvida no país.

Cássio Washiski Barbosa
Durval Ramos Junior
Guilherme Augusto Gaspar
Turma A, Manhã. 3º Período

Um comentário:

celina disse...

boas informações, objetivas.
gostaria de saber a referencia do livro.