quinta-feira, 14 de maio de 2009

Funcionalistas e Hipodérmicos dividindo o espaço

As teorias pressupõem duas formas bem diferentes de estudar a mídia e sua relação com o público. Poderia até dizer formas antagônicas, já que elas se contrapõem praticamente em tudo. Enquanto uma considera que a mídia é fraca e o público forte, a outra afirma o contrário.
Mas são teorias antigas e é difícil usa-las e enquadra-las atualmente. Algumas características desses estudos realmente se aplicam, mas acabam se misturando. A mídia é forte, porém o público também é forte. Esses estudos já não dão mais conta de teorizar a comunicação que existe nos dias de hoje.
As diferenças existentes entre as duas passam a ser mais tênues, mostrando que, ao mesmo tempo em que mídia exerce o pleno poder sobre o público, esse mesmo público se mostra forte e ativo nas escolhas exercidas pela mídia.
É inviável pensar em uma teoria capaz de constatar a atual relação entre mídia, comunicação e público.


Grupo: Angela Laureanti, Evelin Schelbauer, Jéssica Kimy, Marina Miranda.
Jornalismo 3º período - B

Um comentário:

celina disse...

" É inviável pensar em uma teoria capaz de constatar a atual relação entre mídia, comunicação e público."
é possível, sim, a partir de outras perspectivas.