quinta-feira, 14 de maio de 2009

Hipodérmicos e Funcionalistas, levemente ultrapassados

A Teoria Hipodérmica e a Teoria Funcionalista da comunicação são dois estudos elaborados tentando analisar o processo de comunicação e o receptor embutido nesse processo. Ambas são diferenciadas por analisarem distintamente a atuação do receptor na comunicação.
Os hipodérmicos defendem que tudo o que se veicula na mídia é imediatamente aceito, sem qualquer questionamento ou resistência. Nesse contexto, é importante a presença da massa, já que como grupo variado e desconhecido não existe uma identidade própria. Sendo assim, os meios de comunicação são a única referência, visto que detêm toda a informação. Na atualidade essa teoria não é válida, haja visto que existe uma variedade de programação disponível ao receptor, e ele tem a possibilidade de selecionar o que deseja extrair para si.
Os funcionalistas também abordam a questão da massa, mas observando a mídia como função social. Algumas das funções atribuídas são controlar tensões, alertar quanto às ameaças e reforçar modelos de comportamento. Esse modelo se associa em parte ao cenário atual, pois realmente a mídia presta serviços à sociedade e executa parte dessas funções. No entanto, quando os interesses comerciais prevalecem essas funções são esquecidas em prol do lucro.
Assim, o que se observa é que a mídia atual não consegue prestar sua função integralmente, mesmo tendo uma maior possibilidade de contato com as grandes massas. Exemplos disso são os programas sensacionalistas, com o de José Luiz Datena, Brasil Urgente. O programa até consegue mostrar o que ocorre de negativo na sociedade, mas o faz visando o lucro e não o bem estar social.


Grupo: Igor Hudson Castanho
José Mário Dias
Paulo José Mello
Vinícius Gallon de Aguiar

Jornalismo B - Manhã - 3º Período

Um comentário:

celina disse...

pelo título, já sabia q era de vcs...
" haja visto que existe uma variedade de programaçao ...! > ok no caso do texto mas a questáo é evidentemente mais ampla (a variedade efetivar liberdade de escolha, receptor não passivo etc.
no final vcs apontam para outra questão futura interessante - o mod ocomo a função não é cumprida em função do interesse de lucro, na sociedade de consumo.