quinta-feira, 14 de maio de 2009

Hipodérmicos x Funcionalistas

A diferença entre hipodérmicos tardios e funcionalistas inconscientes, apesar de apresentados de maneira extrema por Juremir Machado da Silva, é presente nas mídias atuais. A contradição percebida hoje é muito mais tênue e os meios de comunicação podem até apresentar ambas as características.

É fácil encontrar exemplos dos funcionalistas, que colocam o poder de escolha nas mãos do público e o mostra apenas o que quer ver, principalmente em telejornais. Comportamento justificado pela prática telejornalística: o meio sobrevive através de investimentos por parte da publicidade, que se efetuam apenas com a existência de um público (Ipobe). Assim, com o poder de escolha do público de assistir apenas o que quer, as mídias devem adaptar-se aos gostos do espectador.

Já os hipodérmicos são aqueles que, ao tentar sair deste ciclo, pecam ao se considerarem acima do público, e, assim, não o entenderem (dificultando o processo de comunicação). Vários meios, até mesmo a TV, apresentam programas em horários alternativos produzidos com este pensamento.

Porém, as correntes não são completamente extremas: a mídia só sobrevive quando agrada a um público. Mas é também importante que as mídias se renovem em assuntos e proporcione uma diversidade maior de temas ao seu espectador. Além de tudo, o público busca uma verdade maior nas informações que consome.

Jornalismo, 3ºPeríodo, turma B
Elis Paola Jacques
Emeline Hirafuji
Gisele Eberspächer
Julia Bottini

Um comentário:

celina disse...

é um texto sobrio...só uma constatação - um texto amadurecido, parece. a não ser no ultimo paragrafo, q poderia ser reelaborado, fechar melhor a idéia.

a primeira metade do segundo paragrafo stá meio trucada.