sábado, 23 de maio de 2009

Industria Cultural e a Música Brega

A música brega é conhecida pelas suas letras simples, mas que tratam de temas excessivamente romanticos, normalmente tendo a dor de cotovelo como tema principal. A melodia é forte e o visual de suas interpretes muito exagerado.
Apesar do primeiro cantor do gênero, Vicente Celestino, ter surgido nos anos 30, foi nos anos 50/60 que o brega tornou-se popular no país. Os jovens cariocas da época que preferiam o rock e a bossa nova, denominaram o estilo como cafona. Porém, não livrou cantores como Waldick Soriano e Agnaldo Timóteo de terem atingido o sucesso. Mas foi na década seguinte que o gêreno se tornou defasado pelo fato de a ditadura estar em ativa no país. Como inúmeros cantores da bossa nova estavam exilados e/ou com canções proibidas o brega tornou-se uma vávula de escape na época.
Nessa época e principalmente nos anos 80, incorporou-se as danças sensuais, com o aparecimento de cantorea populares que dançavam e tinham apelo sexual, muito influenciados pelas pornochanchadas do cinema. Daí deu-se o nascimento de figurões como Gretchen e Sidney Magal. Os anos 80 foram responsáveis pelo baby-boom da música brega que permanece até hoje, com bandas como Calypso e os tecnobregas tão comuns no norte/nordeste mas que sempre invadem o centro-sul.
Apesar de ser um esilo mais comum em classes menos favorecidas pelo fáci entendimento, é imprescindível o reconhecimento desse estilo como importante já que contribuiu para a história recente do país. Sem contar que tornou populares uma fatia da população que não tinha acesso aos grandes festivais que revelavam apenas cantores da mpb e do rock nacional. Os meios de comunicação, que muitas vezes estiveram a serviço da grande massa, da mass mídia, ajudaram a popularizar esse estilo musical. Ídolos nasceram com a intensificação desse estilo, que fugia à tendência bossa nova e jovem guarda e não tinha comprometimento político. A grande massa teve voz num momento em que a repressão se fazia presente, mas que o bizarro e o "diferente" se intensificavam.

Alunos: William Saab, Eriksson Denk, Luiz Fernando Levinski e Armando Sagula

2 comentários:

celina disse...

ok, com observações:

1 " não livrou cantores como Waldick Soriano e Agnaldo Timóteo de terem atingido o sucesso." - nao livrou?

2" o reconhecimento desse estilo como importante já que contribuiu para a história recente do país. Sem contar que tornou populares uma fatia da população que não tinha acesso aos grandes festivais que revelavam apenas cantores da mpb e do rock nacional" - a partir daqui deveriam discutir a industria cultural.

3 ai revisão...essecivamente, difasado etc. corrijam, por favor

acadêmicos do segundo ano de Jornalismo da PUCPR disse...

1 - não, nao livrou. Afinal, esses cantores atingiram sucesso justamente com as músicas bregas, ou não?

2 - complementado.

3 - arrumado.