segunda-feira, 18 de maio de 2009

Música gaúcha

A partir do século XVIII, a imigração de portugueses e espanhóis para o sul do Brasil influenciou de forma marcante a construção do primeiro fandango. A partir de 1824, outros imigrantes (germanos, principalmente) trouxeram suas danças populares, cultivadas nas áreas de colonização, que também ajudaram a influenciar a criação da música gaúcha.
Devido a isso, Sívio de Oliveira e Valdir Verona, autores do livro "Gêneros musicais e campeiros do Rio Grande so Sul" afirmam que a música gaúcha não é "nativa". Segundo o dicionário, nativo significa "não estrangeiro, nacional, indígena" e não é necessário muito esforço intelectual, segundo os autores, para ver que a música tratada não é nem indígena, nem de invento regional. "Assim, no Rio Grande do Sul praticamente não existe música nativa; há, entretanto, música nativista", declaram.
O movimento nativista pode ser muito bem observado nas canções gaúchas, por se cantar o amor pelas coisas do estado, pelos rios, pelo campo, pela cidade e pelas mulheres. Nas bandas mais atuais de música gaúcha, além da tradicional gaita e do violão, são usados baixos, guitarra e bateria. Bandas como Tchê Garotos, Garotos de Ouro e Os Monarcas possuem refrão e uma média de 12 músicas em cada CD, encaixando-se no conceito de música popular massiva.
Segundo o maestro e pesquisador musical Cláudio Avanso, entretanto, essas e outras bandas mais novas de pop vaneira e xote universitário, por exemplo, "insistem em divulgar seu trabalho como fonte das tradições dos pampas e acabam banalizando a cultura local".
"A denominação 'gaúcho' não se refere apenas ao cidadão nascido no Rio Grande do Sul, mas sim à pessoa que adere à cultura, incluindo os estilos musicais". Com a execução das milongas, bugios, xotes e fandangos, a música tradicional gaúcha influenciou muitos cantores e compositores consagrados, afirma o maestro. "Um exemplo é Elis Regina, que apesar de ser conhecida por suas canções fora do contexto gaúcho, começou sua carreira cantando músicas tradicionais dos pampas e, assim, influenciou diretamente as interpretações femininas e ditou uma tendência vocal no país". Na opinião de Avanso, a música gaúcha influenciou o surgimento de vários outros ritmos brasileiros e também "difundiu os costumes e tradições do sul pelo País e pelo mundo".

Ritmos que ifluênciaram a música gaúcha e gêneros da música:
Chimarrita, Valsa, Polca, Chote, Vaneira, Mazurca, Rancheira, Toada, Milonga, Chamamé, Rasguido Doble, Bugio, Contrapasso.

Crédito da foto: Edu Rickes(http://www.flickr.com/photos/edurickes/)

Grupo: Ana Carolina Baú, Letícia Paris, Gabriele Lemes e Emanuelle Garollo.

Um comentário:

celina disse...

boa pesquisa. a questão agora é: quais características de Indústria cultural aparecem na musica gaúcha?