segunda-feira, 25 de maio de 2009

Música Popular Brasileira

A MPB tem origem no período colonial, a partir da mistura de vários estilos: os sons de origem africana, as cantigas populares, fanfarras militares, músicas religiosas e músicas eruditas européias,e até os típicos cantos e sons tribais indígenas. Porém, há quem diga que ela nasceu na época em que a Bossa Nova estava entrando em declínio, em 1966.
Mais apreciada pela classe média, a Música Popular Brasileira teve como precursores o lundo – de origem africana, e a modinha, cujo berco portugues falava de melancolia e amor numa batida calma e erudita. Na segunda metade do seculo XIX, a união dos dois estilos agregado ‘a danca de salao europeia faz surgir o chorinho.
Já no século XX, aparecem a capoeira, vinda dos becos do Rio de Janeiro, e o carnaval. Na década de 50, quem faz sucesso é a Bossa Nova. Destaque para Tom Jobin, Elisabeth Cardoso e João Gilberto. Transmitido pela Rede Record, nos anos 60, o Festival de Música Popular Brasileira ganhou fama e importância com figuras como Milton Nascimento, Elis Regina, Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso e Edu Lobo. No mesmo período, no programa jovem guarda, também lançado pela emissora, ganham voz os cantores Roberto Carlos e Erasmo Carlos e a cantora Wanderléa.
Os anos de 70 e 80 também são marcados por artistas carismáticos procedentes dos mais longínquos cantos do país. Destaque para Maria Bethania , Fafá de Belém, Clara Nunes, Belchior e Fagner ( ambos do Ceará), Alceu Valença e Elba Ramalho. No que diz respeito ao Rock, aparecem Raul Seixas e Rita Lee.
As músicas referentes a última década do século XX ganham influencia internacional, com forte tendência urbana e tratando de temas nacionais. Aparecem Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, Titãs, Kid Abelha, RPM, Plebe Rude, Ultraje a Rigor, Capital Inicial, Engenheiros do Hawaii, Barão Vermelho. Outros que se destacam foram Cazuza, Lulu Santos, Marina Lima, Lobão, Cássia Eller e Zeca Pagodinho.
O crescimento da MPB está relacionado, em termos midiáticos, com o desenvolvimento do rádio e dos aparelhos de reprodução musical, principalmente nas décadas de 1920 e 1930. Desde então, a indústria fonográfica vem se desenvolvendo no que diz respeito aos modos de execução, audição e circulação audiovisuais.
A Música Popular Brasileira apresenta extrema importância no que diz respeito a externar as diversas identidades culturais existentes no Brasil. É através dela também que é preservada a memória coletiva da história e da honra de nosso país.

Daniela Mallmann Andrade
Jornalismo - B

Um comentário:

celina disse...

ok informaçoes históricas.
sinto falta das fontes de pesquisa.
ainda q vc fale da indústria fonografica, não desenvolve a discussão da indústria do consumo e termina o texto falando de identidade - está correto, mas trata de outra perspectiva teórica.