sábado, 13 de junho de 2009

Convergência de mídias e reality shows

Big Brother, Casa dos Artistas, No Limite, A Fazenda... Os reality shows já são sucessos certos de audiência em qualquer canal. Além de apresentar tudo aquilo que as pessoas querem ver – casais, intrigas, baixaria e sexo –, um dos principais fatores para explicar o sucesso desse tipo de programa é a interatividade com o público, que pode participar votando através do telefone, do celular ou da internet.

Os reality shows já são considerados estereótipos de produtos da Indústria Cultural, que – notem a ironia – cria uma imagem estereotipada das pessoas. Além disso, esses programas são produzidos para gerar audiência e essa participação do público é fundamental para andamento do atração. Os programas também são quase todos feitos em série: todos iguais, mudando um aspecto ou outro nas “regras do jogo”. Através de diferentes mídias o programa vai se desenvolvendo: da internet e do telefone saem as decisões dos telespectadores e na televisão são exibidas as cenas e imagens. Além disso, na internet são postadas notícias referentes aos acontecimentos dos reality shows.

Cássio Barbosa
Durval Ramos
Guilherme Gaspar

Nenhum comentário: