domingo, 14 de junho de 2009

jornalismo e indústria cultural

A indústria cultural serializou o modo de se fazer jornalismo. Hoje, tanto no impresso quanto nos meios eletrônicos, a forma como se tem passado as notícias ficou igual. Os jornais vêm com uma diagramação similar, os noticiários na televisão estão com os mesmos assuntos tratados e expostos de maneira igual. Tudo o que esses meios procuram é atingir um mesmo público, dividir a mesma audiência. Não há uma busca por um consumidor que está distanciados dos noitíciários padrões.
Se hoje tudo está tão serializado, tão industrializado, é porque o público e principalmente as grandes empresas não têm se procupado com um consumidor que está por vir. Podem até incluir novidades na programação ou no conteúdo, mas é sempre igual ao que todos fazem. Falta uma abertura maior da mente dos diretores para conquistar um novo público, não perder o antigo e se renovar sem se basear ou copiar o que já foi feito.


Armando Sagula
Eriksson Denk
Luiz Fernando Levinski
William Saab

Um comentário:

celina disse...

e a convergencia?