quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Battery Park


Escolher um local preferido em Curitiba? Difícil pois gosto de todos, mas nenhum em especial.
Agora falando em mídias e a força que ela exerce sobre nós, a comunicação em massa -como filmes, músicas, séries de tv , novelas, tudo isso tem uma mensagem ao fundo, sempre direcionado a alguém que pode ou não absorver tal informação.
Como dizia Hall “Várias identidades, algumas vezes contraditórias ou não resolvidas”
Cada pessoa tem suas preferências, cores, musicas, comidas, lugares. Isso pode-se dizer no meu caso, de tanto que fui bombardeado por informações, e relatos de parentes que já visitaram o meu lugar preferido que é fora de Curitiba, cidade na qual eu nasci e cresci.
Stuart Hall citou a ‘’crise de identidade’’, a qual eu não me vejo morando na capital de todos os paranaenses, ela não tem muito a ver comigo, mesmo pertencendo ‘’biologicamente’’ pois foi aqui que nasci e morei por muitos anos.
O que quero dizer é que a Comunicação é agressiva, as mensagens são absorvidas por pessoas que entendem certos conceitos, pode ser clara, ser entendida por todos, como ser melhor compreendida por alguns que já possuem certo conhecimento sobre determinado assunto - algo complexo e que requer muito mais linhas que me são disponíveis aqui nesse espaço.
Somos os que somos pelo meio onde nascemos, mas isso não é uma regra, podemos mudar a realidade, e muitas vezes isso parte da mídia que penetra na cabeça do ser até ele tomar uma atitude de mudança ou não. Por ex: minha família é dispersa, cada um mora num estado/cidade/e país diferente.
Meu tio já morou em quase todos os continentes, e eu sempre ouvia as histórias curiosas sobre os lugares pelos quais ele passou. As melhores eram da cidade de Nova Iorque, e aquilo me hipnotizava, logo vinham os filmes, os clipes, os seriados, as noticias nos jornais, tudo sobre a cidade que pertencia as boas recordações do meu tio, bem como ouvir simplesmente na TV o nome Nova Iorque , e então eu corria para saber o que se falava. Ou seja, eu estava exposto a compreender melhor a cidade de Nova Iorque, sabendo onde ela ficava, quais os lugares famosos - do que uma pessoa que viu apenas na televisão e não possuía a informação necessária para compreender o sentido da cidade, é o caso dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.
Nos relatos do meu tio, ele havia trabalhado no setor de estoque de cargas que ficava no subsolo do WORLD TRADE CENTER, e explicou o que era o complexo de prédios do WTC.
No dia dos atentados eu sabia exatamente o que os prédios simbolizavam para o mundo e para a cidade de Nova Iorque, já para as pessoas que não tinham esse conhecimento eram apenas prédios sendo atingidos, ou seja a informação mudou o modo como eu vejo a notícia dada em massa. Para uns ela significa uma coisa, para outros ela pode não significar nada.
Stuart Hall fala sobre globalização, cultura em massa, a força da mídia, as novas mídias, e tudo me levou a crer que fui fortemente influenciado a gostar de um lugar, pois estava mais exposto as informações do que outras pessoas que não tiveram a mesma exposição sobre o assunto que eu abordei aqui.
Meu lugar preferido é o Battery Park na parte sul da ilha da Manhattan na cidade de Nova Iorque, e ele pode ser conseqüência das mídias que me influenciaram de maneira direta ou indireta a gostar da Cidade de Nova Iorque.


TEORIAS DA COMUNICAÇÃO
HUMBERTO MAC LEOD
JORNALISMO NOTURNO

Nenhum comentário: