quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Jornalismo Líquido x Rolling Stone Brasil

A idéia de jornalismo líquido vem agregada a todo o “novo conceito” da profissão, pois sofre influencia direta do ambiente e do contexto social em que o jornalismo em análise é praticado. A contextualização da notícia é influenciada pelas diferentes formas como um mesmo fato pode ser percebido ou interpretado e, principalmente, pelo tempo gasto durante todo este processo.

"Na verdade, você acaba trabalhando com um período diferente de tempo em relação a meios como a internet, o rádio e até mesmo o jornal”, comenta Tiago Agostini. Por se tratar de um veículo mensal, fatos que ocorreram há 15 ou 20 dias continuam relevantes. Para ele, a principal característica da informação é que, ao contrário do jornal, que é realmente factual, na revista mensal é possível dar um panorama de forma mais generalizada e estruturada. “Não interessa tanto o fato, mas sim o contexto em que ele foi gerado, qual o impacto disso e tudo mais. Em suma, temos mais análise do que o normal”.

Essa análise mais criteriosa e cuidadosa pode ser considerada positiva. Há mais tempo para a produção da matéria e mais cuidado com o texto. O produto final chega com mais credibilidade. “Não ficamos tão reféns da velocidade e da falta de substância de algumas notícias e informações que são veiculadas em mídias, digamos, mais imediatistas”, conclui Leonardo Dias Pereira.

Jornalismo - Noturno - 4º Período
Alunos: Murilo Basso, Ricardo Prado e Vinicius Salvino



Um comentário:

celina disse...

observe-se que a aplicação do conceito é só uma experimentação...
mas vcs não colocaram o bauman nna discussão...

no segundo parágrafo vcs apresentam a declaração, mas não se sabe q ele fala de revista...

e quem são os entrevistados?