quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Jornalismo Líquido

Zygmunt Bauman afirma que modernidade líquida consiste em “uma sociedade em que as condições sob as quais agem seus membros mudam num tempo mais curto do que aquele necessário para a consolidação, em hábitos e rotinas,das formas de agir.’’ Em outras palavras, a sociedade está em constante mutação, e precisa estar sempre atenta a tudo o que ocorre, ninguém pode “dormir no ponto”. Trata-se do imediatismo. No jornalismo, este mesmo fenômeno também está presente. O rádio conta com agilidade para dar informações rapidamente ao público. Segundo Marcos Landim, repórter da CBN, as entrevistas são feitas muito mais por telefone. Há alguns anos, porém, existia uma vantagem: “Antes, se o repórter precisava de uma reportagem, ele ia até o entrevistado e conseguia ver expressão da pessoa”. Atualmente, a falta de contato físico com o entrevistado muitas vezes diminui a capacidade de captação do “clima” do ambiente pelo jornalista. Conclui-se então que o que Bauman chama de liquidez implicou em grandes mudanças no modo de pensar da sociedade e em novas formas de fazer notícia.

Daniela Mallmann Andrade
Lidiane Tonon
4º período - Turma B

2 comentários:

celina disse...

ótima reflexão, especialmente porq deixou o foco no bauman.

celina disse...

só observando q a pontuação é individual...daniela?