sábado, 12 de setembro de 2009

A madrugada da cidade

A imagem escolhida por mim é da vista de meu apartamento durante a madrugada.
Minha identifação parte o princípio que esta é a vista que tenho de dentro do meu mundo, que é minha casa. É deste lugar só meu que partem todas as minhas ligações com os demais lugares da cidade. Este lugar foi o primeiro que identifiquei como meu nesta terra que não considero como minha. É essa vista que tenho quando vou procurar um contato com o mundo externo, mesmo estando dentro de meu mundo, e madrugada foi escolhida pela sileentificação que tenho com esse período do dia. É quando a cidade grande atinge o ápice de seu silêncio. É quando ela parece estar introspectiva, é quando parece que a cidade está procurando seu eu, pensando em si mesma, é quando a vista da minha casa parece ser só minha, pois enquanto a olho, as outras pessoas dormem. Ficamos nós duas, eu e a cidade. Daqui, muito perto do céu, partem minhas impressões, meus pensamentos mais profundos, minha maneira de me relacionar com o mundo externo. Todos esses movimentos da minha relação com o mundo atual é circundada fisicamente por essa região da cidade da qual essa rua que está na imagem faz parte.

Lidiane Tonon

4 comentários:

celina disse...

boa reflexão, texto bem construído.

bibinez disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bibinez disse...

que bela cidade! eh curitiba?

Willian Dobis disse...

linda a vista do seu apartamento...

eu adoro ficar na madruga em curitiba, pena que está muito perigoso.

Eu freqüento vários parques de Curitiba, como o Guabi e Barigui que vc citou em outras postagens.

Abraços..
gostei do seu blog.
williandobis@hotmail.com