sexta-feira, 11 de setembro de 2009

MON e o nada?


Sim...o branco, a sensação de nada para se ver é o essencial do ambiente onde mais me sinto a vontade em Curitiba, o corredor branco do MON. Talvez o que representa o nada pode ser visto como sendo o auge da “crise de identidade” citado por Stuart Hall. O excesso de informação, poluição visual, poluição auditiva são ao meu ver a principal causa.
Mas se hoje nos encontrássemos em uma cidade onde só exista um modelo arquitetônico (excluído movimento pós-moderno, pois este é a favor da mistura de todos os estilos arquitetônicos) vejo uma cidade sem magia, sem uma história para contar.
Cada período histórico carrega a sua identidade, e mesmo diante de tanta poluição, estamos construindo a identidade da cidade com a nossa. Portanto, todos nos temos uma identidade, mesmo que ela esteja escondida ou “suja”.


Ana Paula Scorsin

Jornalismo noite

Nenhum comentário: