sábado, 12 de setembro de 2009

Parque Tanguá


A imagem que escolhi de Curitiba como sendo um lugar com que me identifico foi do parque Tanguá. Assim que me mudei para a cidade, esse foi um dos primeiros lugares em que fui. Passei bastante tempo ali nessa fase de transição. A cidade de onde vim, com não mais de 65 mil habitantes é rodeada de verde, assim como o parque.
A arquitetura nada lembra, mas aquela fase da minha vida me fazia pensar no novo e no velho. O recorte dos bancos do parque foi feito justamente porque era assim que eu me sentia, sozinha.
Hall fala das novas identificações locais e globais, nesse contexto eu não poderia ter escolhido lugar melhor para representar a minha visão sobre Curitiba. A cultura do interior não agrega parques com arquitetura elaborada, mas preserva ainda o espaço verde. O Tanguá representa esse traço de pós-modernindade, local, não deixando de lado a natureza, global, pois até na cidadezinha existe esse pensamento.

Honislaine Rubik

2 comentários:

acadêmicos do segundo ano de Jornalismo da PUCPR disse...

muito boa a reflexão e tb ter exercitado o olhar fazendo as fotos.

christian disse...

Precisa conhecer o Parque Passaúna.