quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Tudo acontece de agora para agora. Jornalismo é dinâmico.

Hoje parece que o jornalismo vive uma crise. O holandês Zygmunt Bauman, em Modernidade Líquida, acaba por nos fazer acreditar nisso quando pensamos no relacionamento entre jornalismo e liquidez. Segundo o autor, essa liquidez é simplesmente aquilo que nos escorre pelas mãos, algo mutável facilmente, algo que não é sólido para permanecer fixo. Se pensarmos no jornalismo por essa ótica, acabamos por encontrar uma profunda decadência dos conteúdos, aqui mais especificamente da televisão. Num meio instantâneo, e muito rápido o que se pode afirmar é que aquilo que está sendo passado na televisão é aquilo que interessa a sua audiência agora. É uma das características da modernidade. Velocidade. A televisão ainda é o maior meio de comunicação formador de opinião. E as pessoas acreditam naquilo que é passado nesse meio. Assim como a tv acabou moldando, de certa forma, as sociedades ela também acabou trazendo dúvidas e insatisfações. Podemos perceber as transformações que esse meio passou . Luana Vasconcellos, chefe de redação da RIC TV no Paraná, afirma que houve uma evolução da TV nos últimos cinco anos, que foi a valorização do regional e cita a Rede Bandeirantes como principal exemplo disso. A Tv, segundo ela, ainda tem um espaço muito grande na vida das pessoas como formador de opinião, e acredita no peso do jornalismo para lidar com os problemas da sociedade. Ela defende que aquilo que é produzido na Tv passa por olhos de profissionais comprometidos. “O papel do jornalismo é exatamente esse, é de transformação, de informação, eu acredito que isso, não se perdeu. Tem gente que fala, por exemplo, que o Balanço Geral faz sensacionalismo, eu não acredito. E não acho que é sensacionalismo. Eu acho que você expor um problema pra resolver, não é sensacionalismo. Você expor pelos simples fato de mostrar aí sim”. Luana ainda afirma que o número de pessoas que tem acesso a internet é muito pequeno e que a Tv ,como veículo de “massa”,não vai perder seu espaço para as “novas mídias”( como a internet).

Luana Vasconcellos trabalha a quatro anos no meio televisivo, já trabalhou na Band

e agora atua como chefe de redação e pauta da Record, no Paraná.


Jornalismo Diurno-A

Gustavo Prestini

Milena Vicintin

Viviane Prestes

Um comentário:

celina disse...

polonês...!!

a discussâo teórica introduz bem o texto. falta relacionar melhor com a entrevista.
e o texto deve ser burilado...tá meio solto.