quinta-feira, 4 de março de 2010

A Comunicação Segundo a Escola de Frankfurt

A Escola de Frankfurt analisa a comunicação de forma crítica, considerando o contexto político e social da época. Deixa assim claro que a comunicação é uma ferramenta de controle de massas através da mídia, fazendo-os agir e pensar de forma “conveniente” à classe mais poderosa. Quando a arte deixa de ser vendida como arte, mas como “produto” perde-se a comunicação imparcial, e cria-se a Indústria Cultural.

A partir do momento em que o entretenimento explora o sensacionalismo e tenta vender uma marca, deixando de lado a simples promoção da cultura, a população não consegue exercer seu espírito crítico – ela apenas aceita qualquer coisa que lhe é oferecida, sem julgar.

De acordo com Francisco Rudiger, no livro Comunicação e Crítica da Sociedade:

"A população é mobilizada a se engajar nas tarefas necessárias à manutenção do sistema econômico e social através do consumo estético massificado, articulado pela indústria cultural. As tendências à crise sistêmica e deserção individual são combatidas, dentre outros meios, através da exploração mercantil da cultura e dos processos de formação de consciência".

Fonte:
RUDIGER, Francisco. Comunicação e Crítica da Sociedade, 1ª edição – 1999.
UOL Educação – http://educacao.uol.com.br/filosofia/escola-de-frankfurt.jhtm

Camila Costa Toppel, Camila Petry Feiler, Francielle Ferrari, Idionara Bortolossi, Marcela Lorenzoni

Nenhum comentário: