quinta-feira, 4 de março de 2010

Comunicação segundo Sociologia Alemã

Autor: Niklas Luhmann (1927 - 1998), Sociólogo Alemão

Comunicação é um processo seletivo, quando baseado em sentido. Este estabelece os limites e o horizonte.
Enquanto Weber procurava constituir sua teoria da ação social na compreensão (Verstehen) do indivíduo, Luhmann deixa interagir „processadores de informação capazes de se relacionar um com o outro e sobre o outro. O sistema social emerge, então, dos acórdãos resultantes da interação dos processadores. A estrutura destes sistemas tem apenas a função de possibilitar a negociação de tais acórdãos e sua modificação permanente.
A estrutura social não representa, portanto, uma rede ou o caminho que regula diretamente as ações humanas. Ela orienta apenas a comunicação que tornará determinadas ações mais prováveis do que outras.
Neste processo genético da ação social aparece, portanto, o processamento de informação como intermediador. Ele se coloca, por assim dizer, entre os agentes que se confrontam, criando um espaço de reflexão, um espaço para ações performadas apenas virtualmente. As idéias e expectativas não se materializam imediatamente. Apenas brinca-se com a sua realização. Sociedade humana, enquanto sociedade consciente emerge.
O processo básico que produz os elementos ativos de sistemas sociais – as ações – pode, assim, apenas ser alocado no campo da comunicação, formando o campo psicológico – o da compreensão individual – o seu ambiente. Sistemas sociais não podem ser definidos psicologicamente.
Para que o processo de comunicação possa guiar-se a si próprio, ele deve ser decomposto em ações, deve ser reduzido a estas. Sistemas sociais não são portanto compostos por ações. Pelo contrário, eles são decompostos em ações e ganham com esta redução a base para conectar com futuras ocorrências comunicativas.
Segundo ele, Meios de Difusão (livros, televisão, rádio, web) se desenvolveram e evoluiram com base no idioma falado. Eles aumentam a probabilidade da comunicação em seu todo. Eles fazem com que a presença física do "interlocutor", no momento em que a comunicação se inicia, seja dispensável.

Via de regra, ao definir o conceito de comunicação, usa-se a metáfora da transmissão de informações. Segundo Luhmann, esta metáfora é improdutiva, porque ela sugere que o transmissor entrega algo que o endereçado recebe. Isso não é o caso já pelo simples fato do remetente não entregar nada no sentido de ele mesmo perder algo.Toda a metafórica do possuir, ter, dar e receber é imprópria para a compreensão de comunicação.
O processo de comunicação pressupõe, portanto, além de uma certa configuração técnica, que os intervenientes funcinonem como sistemas que não estão completamente determindos pelo passado, isto é que eles são capazes de reagir a novidades, a informações, e de compreendê-las

Alunas: Ana Luiza, Amanda Hecke, Camila Matta, Letícia da Costa, Rhânele Kiatkoski - Jornalismo (Manhã)

Nenhum comentário: