sexta-feira, 26 de março de 2010

Vera Veiga França aborda neste texto acadêmico esses três aspectos da teoria da comunicação: a definição do objeto da comunicação, a interdisciplinaridade, as correntes de estudo e os paradigmas da área.
Objeto: para construir qualquer domínio de conhecimento é necessário que seja definido seu objeto de estudo e até hoje o objeto da comunicação não foi definido. Generalizando, os meios de comunicação e o processo comunicativo podem ser objetos. "objetos de conhecimento” não equivalem às coisas do mundo, mas são antes formas de conhecê-las; são perspectivas de leitura, são construções do próprio conhecimento."
Interdiciplinaridade: Para entender a interdiciplinaridade precisa-se ter em mente que disciplina é um domínio de conhecimento já concretizado e a interdisciplina são temas que se desenvolvem a partir dessas áreas já consolidadas. Ela diz respeito a determinados temas ou objetos reais que são apreendidos e tratados por diferentes ciências.
Correntes de estudo: a autora faz um panorama dos estudos e correntes da comunicação, pois seria quase impossível falar sobre todas essas correntes.
Esse panorama se inicia com a Escola Americana, passa pela Escola de Frankfurt, Escola de Chicago e alguns autores como Mcluhan.
Os paradigmas: a teoria da comunicação está aberta para quase todas as áreas. O paradigma é o esquema organizador das teorias. Ele define as perguntas a serem respondidas. Mauro Wolf disse: "Os estudos sobre a comunicação se utilizam de teorias sociais elaboradas, mas trabalham com um modelo comunicativo simplista e simplificador, que é o paradigma informacional. Ao lado desse modelo praticamente hegemônico ele identifica e acrescenta ainda dois outros – o semiótico-informacional e o semiótico-textual."