sexta-feira, 23 de abril de 2010

"Enquanto isso, o receptor brinca com o controle remoto"

Em seu texto "Teorias da Comunicação: Hipodérmicos tardios versus funcionalistas inconscientes", Juremir Machado da Silva contrapõe as teorias da comunicação conhecidas como funcionalista e estímulo-resposta/hipodérmica.

Enquanto a funcionalista diz que a mídia é fraca, a hipodérmica afirma que o receptor é fraco, "comandado" por uma mídia forte. Sendo assim, para o funcionalismo os resultados esperados pela emissão podem não ser alcançados, ao contrário dos hipodérmicos, em que cada estímulo corresponderia a uma resposta adequada.

Para a teoria hipodérmica, levando em conta que o receptor é fraco e a mídia é forte, ou melhor, o receptor é manipulável e a mídia é o agente manipulador, e todo o impacto é previsto, para Machado, caberia: limitar, controlar, ou proibir certo estímulo, e principalmete, limitar ou proibir o acesso da criança e adolescente a esse estímulo, uma vez que esse estímulo seja nocivo.

Já no funcionalismo, a manipulação não é possível, uma vez que o receptor, sendo consumidor da informação, tem como escolher e filtrar. E neste caso, leva-se em consideração que entre o influenciado e o influente, há um meio social, o que gera uma recepção seletiva.

Mas afinal, duas questões ficam sem uma resposta concreta: "o que a mídia realmente faz com o receptor?" ou "o que o receptor realmente quer?".
Alunos: Amanda Burda, Camila Olenik, Magda Diane, Rubens Neto e Talita Inaba

Um comentário:

celina disse...

boa interpretação do texto - didática, direta.