sábado, 20 de novembro de 2010

Foucault - Discutindo a "Modernidade" em si


Michel Foucault (1926 – 1984)

Um importante filósofo e professor da cátedra de História dos Sistemas de Pensamento no Collège de France de 1970 a 1984. Seu trabalho foi voltado para a filosofia, experiência literária e análise do discurso. Em 1954 publicou seu primeiro livro “Doença mental e personalidade”. Foi professor na Universidade de Uppsala na Suécia e depois foi para Varsóvia. Em 1960 Foucault retornou para a França e mais tarde em 1965 mudou-se para a Tunísia. Voltou à França em 1969, quando publicou “A arqueologia do saber”.

Michel Foucault é conhecido pelas suas criticas as instituições sociais, medicina, às prisões, à psiquiatria. Também é conhecido por suas teorias gerais relativas à energia e à complexa relação entre poder e conhecimento, bem como para estudar a expressão do discurso em relação à história do pensamento ocidental.

Seu trabalho é muitas vezes descrito como pós-moderno ou pós-estruturalista, por críticos contemporâneos, porém foi mais chamado de estruturalista após a publicação de “As Palavras e as Coisas”. A princípio aceitou esta filiação ao modo estruturalista, mas depois ele se distanciou desta abordagem, explicando que ao contrário da abordagem estruturalista, não adaptado uma abordagem formalista. Não aceitou seu nome ser relacionado ao pós-modernista, pois segundo ele prefere discutir a “modernidade” em si. Michel Foucault é mais conhecido por ter destacado as formas de certas práticas das instituições em relação aos indivíduos. Em Vigiar e Punir de 1975, Foucault altera o modo de pensar e fazer política social no mundo ocidental.

Dizia ele: "Não me pergunte quem sou e não me diga para permanecer o mesmo".

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Michel_Foucault

http://pt.wikipedia.org/wiki/Vigiar_e_punir

http://vsites.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/

Por: Leonardo Barchik 4º Período de Jornalismo - Noite

Nenhum comentário: