sábado, 20 de novembro de 2010

Gilles Lipovetsky e a Hipermodernidade

“Hipermodernidade: uma sociedade liberal, caracterizada pelo movimento, pela fluidez, pela flexibilidade; indiferente como nunca antes se foi aos grandes princípios estruturantes da modernidade, que precisaram adaptar-se ao ritmo hipermoderno para não desaparecer” (Lipovetsky, 2004:26)

Gilles Lipovetsky nasceu em Millau, França, em 24 de setembro de 1944. É professor de filosofia da Universidade de Grenoble e teórico da Hipermodernidade.

Para alguns, a pós-modernidade morreu; para ele, nunca existiu. Segundo Gilles Lipovetzky, o que é hoje é chamado de pós-moderno, na verdade, pode ser mais corretamente classificado de hipermodernidade. O termo “hiper” é utilizado em referência a uma exacerbação dos valores criados na Modernidade, atualmente elevados de forma exponencial.

Para o filósofo, a Hipermodernidade é caracterizada por uma cultura do excesso, do sempre mais. É inegável o pensamento de Lipovetsky. Hoje as mudanças ocorrem em um ritmo quase esquizofrênico, onde todas as coisas se tornam intensas e urgentes. Hipermercado, hiperconsumo, hipertexto, hipercorpo: tudo é elevado à potência do mais, do maior. A hipermodernidade revela o paradoxo da sociedade contemporânea: a cultura do excesso e da moderação. Mas Lipovetsky não é um apocalíptico. É um otimista que defende as democracias liberais e critica os que satanizam a mídia.


Livros:

  • Do Luxo Sagrado ao Luxo Democrático;
  • Era do Vazio, A: Ensaios Sobre o Individualismo Contemporâneo;
  • A Felicidade Paradoxal;
  • O Império do Efêmero: a Moda e Seu Destino nas Sociedades Modernas;
  • A Inquietude do Futuro: o tempo hiper-moderno;
  • O Luxo Eterno: da Idade do Sagrado ao Tempo das Marcas;
  • Metamorfoses da Cultura Liberal;
  • A Sociedade da Decepção;
  • A Sociedade Pós-Moralista;
  • Os Tempos Hipermodernos;
  • A Terceira Mulher.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gilles_Lipovetsky

http://www.revistafilosofia.com.br/ESFI/Edicoes/49/entrevista-gilles-lipovetsky-a-pos-modernidade-nao-existe-179777-1.asp

http://pphp.uol.com.br/tropico/html/textos/2445,1.shl


Milena Santos, 4º período noturno de Jornalismo.

Nenhum comentário: