sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Guy Debord




Guy Debord foi um escritor, cineasta e revolucionário francês do século XX. Ele foi um dos pensadores da “Internacional Letrista” e da “Internacional Situanista” e seus textos serviram de base para as manifestações de Maio de 68.

Sua obra mais conhecida é “A Sociedade do Espetáculo” (1967), em que critica tanto o espetáculo de mercado da sociedade capitalista – chamado de “espetacular difuso” – quanto o espetáculo de estado socialista – “espetacular concentrado”. Debord aponta como causadoras das debilidades das esferas públicas e privadas, as forças econômicas que dominaram a Europa no período do pós-guerra.

Foi baseado nos estudos de Karl Marx que Debord desenvolveu seu pensamento crítico à sociedade. A redução da realidade ao fim em si mesmo da valorização capitalista do valor – a inversão que ocorre em seu interior entre meio e fim – transforma as potencialidades sociais num poder estranho e hostil que se contrapõe aos indivíduos. Para ele, as relações entre os seres humanos parecem relações entre coisas mortas. A partir desta idéia, Debord mostra como a sociedade capitalista alcançou no pós-guerra um elevado grau de abstração, na medida em que as coisas em forma de mercadoria foram recobertas por imagens produzidas também sob a forma mercadoria. O homem é reduzido à condição de “coisa”, de “mercadoria” no mundo do trabalho.

Para ele, a alienação é a conseqüência do modo capitalista de organização social, o espetáculo se torna uma forma de dominação da burguesia sobre o proletariado.

Fonte: JAPPE, Anselm. Guy Debord. Petrópolis: Vozes, 1999 e Wikipedia

Luciane Degraf - 4º Período, Noturno

Nenhum comentário: