sábado, 20 de novembro de 2010

Guy Debord


Guy Debord foi um filósofo, agitador social, diretor de cinema e se definia como '‘doutor em nada’'. Vinculou-se à geração herdeira do dadaísmo e do surrealismo dos anos 50. A Sociedade do Espetáculo é o trabalho mais conhecido de Guy Debord. Em termos gerais, as teorias de Debord atribuem à debilidade espiritual, tanto das esferas públicas quanto da privada, e faz critica tanto ao capitalismo, quanto ao socialismo. A sociedade do Espetáculo é o resultado de uma série de debates e leituras acerca dos conceitos desenvolvidos por Marx.

No entanto, Guy Ernest Debord não é apenas um competente leitor de Marx. Em sua obra podemos encontrar referências de Mikhail Bakunin, Sigmund Freud, Anselm Jappe e Robert Kurz.

O ponto central de sua teoria é que a alienação é mais do que uma descrição de emoções ou um aspecto psicológico individual. É a conseqüência do modo capitalista de organização social que assume novas formas e conteúdos em seu processo dialético de separação e retificação da vida humana. O espetáculo é uma forma de dominação da burguesia sobre o proletariado e do espetáculo, sua lógica e sua história, sobre todos os membros da sociedade. Debord também mostra algumas estratégias que buscam resistir à alienação através da supressão ou derivação da realidade espetacular, destruindo os valores burgueses tal como a submissão ao mundo do trabalho.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Guy_Debord

http://pt-br.protopia.wikia.com/wiki/Espet%C3%A1culo,_comunica%C3%A7%C3%A3o_e_comunismo_em_Guy_Debord

http://www.usp.br/anagrama/Portela_Debord.pdf

http://operigodobelo.wordpress.com/guy-debord/




Alunas : Amanda Walzl de Oliveira e Larissa Montes Matos
4° Período de Jornalismo - PUCPR - Diúrno

Nenhum comentário: