sábado, 20 de novembro de 2010



Michel Foucalt era um filósofo, sociológo e historiador francês. Viveu de 1926 até 1984. Quando morreu era o pensador mais famoso do mundo.
Era filho, neto e bisneto de médicos, porém não quis continuar na carreira de seus familiares. Foi companheiro de estudo de Pierre Bordieu e Paul Vayne. Entre seus amigos aparecem os nomes de Pierre Boulez, Roland Barthes e Gilles Deleuze.
Foi aluno do filósofiso Jean Hyppolite, quem lhe apresentou a obra de Hegel.
Em 1945 conseguiu entrar na École Normale. Leu Platão, Hegel, Marx, Nietzsche, Husserl, Heidegger, Freud, Bachelard, Lacan e outros. Aprofundando-se em Kant.
Ele escreveu para vários jornais e trabalhou muito tempoo como psicólogo em hospitais psiquiátricos e prisões. Publicou "Doença Mental e Psicologia" em 1954, quando tinha 28 anos. Mas se firmou como filósofo quando publicou "História da Loucura", que era sua tese de doutorado na Sorbone.
O pensador veio ao Brasil em 65 para uma conferência, convidado por Gerard Lebrun.
Já a obra "Vigiar e Punir", é um estudo sobre a disciplina na sociedade contemporânea. Ele analisou os processos disciplinares que são utilizados nas prisões. Com esse trabalho, Foucault deixou claro que a noção de que as formas de pensamento são também relações de poder. Deixou inacabada o que seria a sua publicação mais ambiciosa entitulada "História da Sexualidade", que pretendia mostrar como a sociedade usa o sexo como uma forma de poder.
Ele ensinou na Universidade da Califórnia (Berkeley) e na Univerdade em Buffalo.



Angélica Mujahed - Quarto período de jornalismo (Manhã)

Nenhum comentário: