quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Paul Virilio


Arquiteto, urbanista, ex-diretor da Escola de Arquitetura de Paris, especialista em questões estratégicas, Paul Virilio tem se destacado como um dos principais ensaístas sobre os meios de comunicação, “a guerra da informação” e o mundo cibernético. Nos últimos anos Paul Virilio vem se notabilizando como uma voz cética, quase uma nova dissidência, frente a uma sociedade desenfreadamente informatizada e onde o cidadão é vítima de um constante bombardeio (des) informacional.

As mudanças tecnológicas estão num ritmo cada vez mais frenético, muito acima da nossa capacidade de refletir sobre suas características, seu alcance e profundidade. É nesse aspecto que reside a crítica de Virilio, bem evidente nessa observação de Kaflka “As massas se apressam, correm, atravessam a época a toque de caixa. Elas pensam avançar mas não fazem mais que marcar passo e cair no vazio, e é só. “

É na discrepância entre o otimismo da cultura oficial e o impacto perturbador da realidade contemporânea que se insere a reflexão inconformista de Paul Virilio. Seus ensaios, breves e agudos, sondam as múltiplas facetas pelas quais podemos vislumbrar os desequilíbrios instaurados pelo desenvolvimento irrefletido da ciência e das técnicas. O tom dramático de suas palavras reflete a gravidade da situação exposta, quanto a urgente necessidade de respostas. Para Virilio, no livro A bomba informática, fica evidente sua posição crítica quanto a evolução da ciência e suas possíveis consequencias, “ a guerra do amanhã não se fará em gabinetes fechados, mas em laboratórios abertos , bem abertos para o porvir radioso de espécies transgênicas em princípio mais capazes de se adaptar à poluição de um estreito planeta suspenso no éter das telecomunicações. “


Referência Bibliográfica:

A bomba informática – Paul Virilio – tradução de Luciano Vieira Machado – São Paulo – Estação Liberdade, 1999.


Rogério Teotônio Rodrigues – Ricardo Segura Tomasi – Jornalismo – 4º período - Manhã

Nenhum comentário: