segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Teoria da Comunicação

Resumo do Livro por:Andreetto Autor : María Soledad Guzmán

Do latim "communicare", comunicação significa pôr em comum, conviver. Este "pôr em comum" implica que transmissor e receptor estejam dentro da mesma linguagem, caso contrário não se entenderão e não haverá compreensão. Assim, comunicação deve levar consigo a ideia de compreensão.
A comunicação humana é um processo contante, complexo e ativo que se distingue da comunicação animal por seu conteúdo simbólico, isto é, as pessoas são capazes de compreender, interpretar, elaborar e modificar signos e símbolos. A comunicação se dá sempre: é impossível não comunicar. Mesmo se estamos calados olhando a parece, estamos emitindo uma mensagem. O processo de comunicação está integrado pelos seguintes componentes: emissor, que é quem elabora e põe em circulação a mensgem; receptor, que recebe e interpreta; a mensagem, a informação; meio, suporte físico através do qual se transmite a mensagem; código, sistema de referência em função do qual se elabora e interpreta a mensagem e o contexto, que é a situação social, histórica, geográfica e psícológica do ato de comunicação em questão. Comunicar é por em circulação uma determinada informação, em forma de mensagem, processo que leva a compartilhar-lo. Comunicar é compartilhar, pormos a nós mesmos como seres ativos desse processo, posto que cada mensagem se codifica e decodifica a partir da realidade individual. Comunicação provém de comunhão: Comum união. Por ela, compreender o processo da comunicação resulta fundamentalmente na compreensão de todo processo do fenômeno social, porque é nele que se mostram comuns as individualidades, histórias, sentimentos, valores, modos de ver o mundo e circunstâncias das pessoas que fazem a sociedade. E essas pessoas cada vez que se comunicam, fazem uma comum união de toda essa informação, que é nada más nada menos que as mensagens que circulam diariamente, em qualquer lugar de qualquer sociedade do mundo.

http://pt.shvoong.com/social-sciences/1729137-que-%C3%A9-comunica%C3%A7%C3%A3o/



alunos:
Aline Przybysewski
Ana Evelyn
Lucas Molinari
Larissa Matos

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Comunicação como Seleção - segundo Niklas Luhmann

"A comunicação é um conceito central na teoria sistêmica do sociólogo alemão Niklas Luhmann. Segundo o autor, a comunicação e não a ação, como postulado em muitas teorias, é a unidade elementar que constitui os sistemas sociais. A ação é, na verdade, a unidade elementar que faz o sistema observável. É com base nessa compreensão que ele se dedica a análise da comunicação. Segundo Luhmann, que opera na sua teoria com um elevado grau de abstração, a comunicação é compreendida como um processo de três diferentes seleções: a seleção da informação, a seleção da participação(´Mitteilung`) dessa informação e a compreensão seletiva ou não-compreensão dessa participação e sua informação.
Somente mediante a efetivação das três seleções acima mencionadas, realiza-se a comunicação, que é vista pelo autor como constituindo um sistema completo, circunscrito a si mesmo. Nesse sentido, tais seleções não devem ser vistas simplesmente como funções, atos ou horizontes para pretensões de validade, ainda que essas possam ser ocasionalmente possibilidades de sua utilização. Não devem ser também consideradas apenas como elementos da comunicação, com possibilidades de existência independentes, os quais teriam que ser unidos por alguém. Segundo Luhmann, a comunicação é um sistema fechado completo, formado pelas três seleções básicas mencionadas, as quais não podem existir uma sem a outra, ou seja, 'não há informação fora da comunicação, não há participação fora da comunicação e não há compreensão fora da comunicação.'"
Grupo:
Carolina Chinen Machado
Daniela Maccio
Fernanda Brunken
Fernanda Vargas

Linguagem e comunicação efetiva

"A compreensão dos signos, a compreensão da linguagem, é a base da comunicação. Para compreender um signo temos que percebê-lo e ao mesmo tempo experimentar um ato psíquico, quer como no caso da linguagem fônica, quando o signo verbal é 'transparente à siginificação', quer como no caso de todos os outros signos, que de um modo ou de outro são traduzidos para a a linguagem fônica [...].
A distinção entre a compreensão do signo e a compreensão da intenção daquele que usa o signo deixa de ser trivial quando se chega a análise da diferença entre compreensão da intenção de certos termos ambiguos ou vagos em compreensão da intenção do autor desses termos [...]
Se, em contradição com os mal entendidos, concordamos em que esta comunicação é um processo de produção de signos, por uma parte, e de percepção desses signos, pela outra parte, acompanhado pela mesma compreenção desses signos, por ambas as partes, então comunicação efetiva consiste nesse processo, desde que, além disso, a mesma compreensão dos signos seja acompanhada pelas mesmas convicções.
[...]
Para estabelecer comunicação efetiva, cumpre, primeiro, estabelecer comunicação no sentido de indêntica compreenção da significação das expressões. "

SCHAFF, Adam. Introdução a semântica. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1968. p344-346.


  • Lidyane Dryelli Pereira - 3° período de Jornalismo.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Uma visão da Comunicação

"A comunicação acha-se estreitamente vinculada ao conceito de comunidade e, portanto, ao de civilização. Como tantas outras conquistas do homem, é causa e efeito do progresso social. Assim, a história da humanidade é, até certo ponto, a história dos meios de comunicação. Entende-se por comunicação o processo de troca de significados entre indivíduos por meio de um código comum (signos,sinais, símbolos, linguagem falada ou escrita). Envolve a transmissão de mensagem entre uma fonte e um destinatário. Implica, portanto, dois pólos: um transmissor ou emissor (fonte) e um receptor (destinatário), em um processo que ocorre através de um meio denominado canal. Este pode ser natural, como o aparelho fonador, ou industrialmente concebido, como a imprensa, o rádio, a televisão, etc. Mesmo entre os animais existe um sistema rudimentar de comunicação, embora limitado a sinais e sons intimamente ligados ao instinto de conservação da espécie. Na comunicação existe uma imensa escala de valores. Abarca desde o gesto mais elementar até a transmissão por satélite artificial."

Fonte: Nova Enciclopédia, BARSA . São Paulo: Barsa Consultoria Editorial Ltda., 2001. Volume 04.

André Recchia

Gabriela Campos

Marilia Alberti

Thays Schumacher

Tiago dos Santos





Teoria da Comunicação- José Marques de Melo

O papel da comunicação é a transmissão de significados entre as pessoas para a sua integração na organização social, pois o ser humano necessita estar em constante relação com as outras pessoas ao seu redor, para adquerir mais conhecimentos e conhecer novas experiências de modo de vida,e para isso é fundamental o uso da comunicação como meio de interação social.
Além disso,a comunicação se torna essencial para um bom convívio social e de construção de um ideal justo na comunidade. Por isso o papel da comunicação deve ser entendido de forma adequada para não causar más interpretações,e sim qualificar a contrução social da humanidade.

Fonte: José Marques de Souza- Conceito Sociológico de Comunicação: http://www.univ-ab.pt/~bidarra/hyperscapes/video-grafia-319.htm

Jasson Julio Wolff
Jhonny M. de Castro
Daphine Augustine
Felipe Dalke
Raphael Ribeiro

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

O que é comunicação

“A comunicação, entendida como algo que um indivíduo concebe, codifica e emite intencionalmente para obter de outrem uma reação, estabelecendo-se entre ambos um intercâmbio de sentimentos e ideias orientandoras de sua conduta em determinada situação, é, por natureza, um fenômeno dinâmico, uma vez que exige dos seus agentes uma permanente atividade psicossocial, no sentido de se adaptarem às mudanças que aquele algo, a mensagem, opera no ambiente.”

Fonte: BELTRÃO, Luiz. Processo da Comunicação. In: SILVA, Roberto de Queiroz e (org). Temas Básicos em Comunicação. São Paulo: Edições Paulinas, 1983, p. 13-16.

Alunos: Felipe Martins
Fellipe Gaio
Julio Cesar Glodzienski
Letícia Donadello
Rubia Oliva

Conceito de comunicação segundo Richard Dimbleby e Graeme Burton

" A comunicação é uma atividade, é algo que fazemos, algo que produzimos e, ainda, algo que trabalhamos quando recebemos ou transmitimos uma mensagem. Neste sentido, comunicação não é algo apenas sobre a fala, mas sobre o falar e o ouvir. Não é como fotografia, mas sim algo como fotografar e, ao mesmo tempo, ver o fotógrafo, participando do ato.
Quando estamos falando com alguém, estamos ativamente engajados em perceber o sentido do que a outra pessoa está dizendo, muito mais do que aquilo que estamos falando. Por esta mesma razão, não é verdade dizer que assistir televisão é algo inteiramente passivo. Ao contrário, muitos grupos de pessoas assistem televisão ativamente engajados em participar, juntos, do programa, procurando ver o sentido desse programa, mesmo quando, simplemente, se fica sentado o tempo todo."

DIMBLEBY, Richard; BURTON, Graeme. Mais do que palavras: uma introdução à teoria da comunicação. São Paulo: Summus, 1990.

Equipe: Maria Elisa Brenner Busch,
Mariana Kais de Azevedo,
Maruza Silverio Gozer,
Paula Mayra Nunes Lima,
Rafaela Carvalho.

2º ano de jornalismo, noite.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

José Rodrigues dos Santos - O que é Comunicação

Comunicação:

Charles Cooley, observou, em 1909, que a comunicação é "o mecanismo através do qual existem e se desenvolvem as relações humanas".
Tudo o que é vida é comunicação, porque implica necessariamente o transporte de ideias e objectos de um ponto para o outro.

Ou seja, comunicar significa essencialmente transmitir sentidos, casuais ou intencionais, de um ponto para o outro.(...) Não é possível localizar a origem da comunicação enquanto transmissão intencional de sentidos por parte de seres humanos.
Comunicar é sobretudo significar, através de qualquer meio. Durante milénios isso quis dizer que o acto de comunicação se limitou aos sinais sonoros, visuais e sensoriais emitidos pelo corpo humano.


SANTOS, José Rodrigues dos - O que é Comunicação. Lisboa, Difusão Cultural, 1992 - pp 9-11.


http://www.prof2000.pt/users/arcencio/CI.htm


Alunas:

Aline Gagliardi Hobmeier

Gabriela Filipi Rodrigues

Gleize Perez Alvim De Oliveira

Isabella Roberto Da Rosa

Karen Mendonça Okuyama



Jornalismo - 2° ano - 3° período - manhã

Conceito de Comunicação - George Gerbner

A comunicação é o elemento mais singularmente "humanizador". É singular e único, especialmente no que respeita à sua representação e recriação simbólica de aspectos da condição humana, em formas que possam ser apreendidas e partilhadas. [...]
Comunicação, no sentido "humanizador" mais amplo, é a produção, percepção e entendimento de mensagens portadora das idéias humanas do que existe, do que tem importância e do que está certo. [...]
A comunicação pode ser definida como "interação social através de mensagens. Mensagens são ocorrencias formalmente codificadas, simbólicas ou representacionais, de alguma significação compartilhada numa cultura, produzidas como a finalidade de evocar significação" .

George Gerbner
Fonte: DANCE, Frank E.X. (org) - Teoria da comunicação Humana

Grupo:
Bruna Milanese Ávila
Carine Rocha
Jordana Basilio
Juliana Pivato

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Conceito de Comunicação - Merleau-Ponty

(...) O sentimento de partilha é o que define a comunicação, é construir com o outro um entendimento comum sobre algo. É o fenômeno perceptivo no qual duas consciências partilham na fronteira. O entendimento comum não quer dizer concordância total com os enunciados envolvidos na troca. O entendimento pode ser a conclusão das consciências que discordam dos enunciados uma da outra. A linguagem desponta, então, como objeto cultural de percepção do outro. A linguagem torna-se o plano no qual a zona de encontro pode ser desenhada mediante o diálogo.

Autor: Maurice Merleau-Ponty

Mariana Kauchakje
Mariana Siqueira
Olívia D'Agnoluzzo
Pauline Féo
Jornalismo - 3° período - Manhã.

Conceito de Comunicação - María Soledad Guzmán

Muitos são os autores que definiram a comunicação humana, e nessa variedade de definições se repete algo essencial da comunicação: sua complexidade. A comunicação humana é um processo contante, complexo e ativo que se distingue da comunicação animal por seu conteúdo simbólico, isto é, as pessoas são capazes de compreender, interpretar, elaborar e modificar signos e símbolos. A comunicação se dá sempre: é impossível não comunicar. Mesmo se estamos calados olhando a parece, estamos emitindo uma mensagem. O processo de comunicação está integrado pelos seguintes componentes: emissor, que é quem elabora e põe em circulação a mensgem; receptor, que recebe e interpreta; a mensagem, a informação; meio, suporte físico através do qual se transmite a mensagem; código, sistema de referência em função do qual se elabora e interpreta a mensagem e o contexto, que é a situação social, histórica, geográfica e psícológica do ato de comunicação em questão. Comunicar é por em circulação uma determinada informação, em forma de mensagem, processo que leva a compartilhar-lo. Comunicar é compartilhar, pormos a nós mesmos como seres ativos desse processo, posto que cada mensagem se codifica e decodifica a partir da realidade individual. Comunicação provém de comunhão: Comum união. Por ela, compreender o processo da comunicação resulta fundamentalmente na compreensão de todo processo do fenômeno social, porque é nele que se mostram comuns as individualidades, histórias, sentimentos, valores, modos de ver o mundo e circunstâncias das pessoas que fazem a sociedade. E essas pessoas cada vez que se comunicam, fazem uma comum união de toda essa informação, que é nada más nada menos que as mensagens que circulam diariamente, em qualquer lugar de qualquer sociedade do mundo

Autor : María Soledad Guzmán

Equipe:
Ana Luísa Bussular Marques
Náthalie Christi Sikorski
Rhaíssa Sizenando da Silva
Rogério Scarione
William Fernando Tadeu França Borges Filho


Comunicação por Maria Margarida de Andrade e João Bosco Medeiros

Comunicação, etimologicamente, provém do verbo latino communicare, que significa pôr em comum. A finalidade da comunicação é pôr em comum não apena idéias, sentimentos, pensamentos, desejos, mas também compartilhar formas de comportamento, modos de vida, determinados por regras de caráter social. Desse ponto de vista, comunicação é também convivência, que traz implícita a noção de comunidade, vida em comum, agrupamento solidário, baseado no consenso espontâneo dos indivíduos. Consenso significa acordo tácito, que pressupõe compreensão- e, em última análise, o objetivo da comunicação é este: o entendimento entre os homens.
Tornou-se lugar-comum afirmar que o homem é o animal comunicativo por excelência, pois, entre todas as criaturas vivas, é o que dispõe dos mais variados sistemas de comunicação, adaptados às mais diversas finalidades. A linguagem utilizada para as comunicações interpessoais, presta-se ao homem também para estruturar seu mundo interior, pensar, conhecer. Assim, a linguagem serve-lhe para pensar e comunicar quer seus pensamentos, quer suas emoções. A comunicação implica fundamentalmente a utilização de uma linguagem. De um sistema de símbolos, seja ele uma língua ou um dialeto falado ou escrito, gestos, batidas, cores, uma inscrição em pedra, sinais luminosos ou sinais sonoros, como os do Código Morse, ou, ainda, uma série de pulsos de número binário em um computador.
(...)
Comunicação só se concretiza por meio da linguagem, mas há inúmeras formas de linguagem e nem todas são necessariamente verbais.


Fonte: Comunicação em Língua Portuguesa - Maria Margarida de Andrade/João Bosco Medeiros

Equipe:
Amanda Scandelari
Camila Castro
Beatriz Zanelatto
Helena Salgado

Jornalismo-manhã - 3º período

Juan Díaz Bordenave: O que é Comunicação

Comunicação é a forma como as pessoas se relacionam entre si, dividindo e trocando experiências, idéias, sentimentos, informações, modificando mutuamente a sociedade onde estão inseridas. Sem a comunicação, cada um de nós seria um mundo isolado.
Comunicar é tornar comum, podendo ser um ato de mão única, como TRANSMITIR (um emissor transmite uma informação a um receptor), ou de mão dupla, como COMPARTILHAR (emissores e receptores constroem o saber, a informação, e a transmitem). Comunicação é a representação de uma realidade. Serve para partilhar emoção, sentimento, informação.
Quem comunica é a fonte e, do outro lado, está o receptor. O que se comunica é a mensagem. Pode ser vista, ouvida, tocada. As formas de mensagens podem ser: palavras, gestos, olhares, movimentos do corpo. As formas como as idéias são representadas são chamadas de signos. Em conjunto, formam os códigos: língua portuguesa, código Morse, Libras, sinais de trânsito.
“Os meios são usados pelos interlocutores para transmitir sua mensagem. São eles: o artesão usa o barro, sua mão, sua voz para transmitir conhecimento ao filho. O locutor usa sua voz, o roteiro, o disco, a emissora de rádio, a fita gravada” (BORDENAVE).
Antes do surgimento dos meios tecnológicos de transmissão de informação (TV, rádio, internet etc.), os meios de comunicação utilizados eram físicos, como os rios, navios, estradas etc.


Fonte: http://ana-intervalo.blogspot.com/2009/02/o-que-e-comunicacao.html

Alunos: Amanda Juliane Vicentini
Diana Soares Faria de Araújo
Isabelle de Fatima Warzinczak
João Paulo Garcia Teles
Melanie Lisbôa Triches

Comunicação por Bateson & Ruesch

A palavra comunicação deriva do latim communicare, cujo significado seria “tornar comum”. Comunicar implica em participação, interação, troca de mensagens, emissão ou recebimento de novas informações.

Segundo Gregory Bateson - teórico da chamada Escola de Palo Alto - e seu parceiro J. Ruesch, o termo não se refere somente à transmissão verbal, explícita e intencional de mensagens.
O conceito de comunicação inclui todos esses processos por meio dos quais as pessoas influenciam outras pessoas. Esta definição se baseia na premissa de que todas as ações ou eventos têm aspectos comunicativos, assim que são percebidos por um ser humano; implica, além disso, que tal percepção modifica a informação que o indivíduo possui e, por conseguinte, influencia esse indivíduo.


Anna Bárbara Tuttoilmondo
Heloísa Ferreira
Marina Bueno Antunes
Thaís Reis Oliveira

3º período de Jornalismo - 2011