quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Fotografia - A Arte Onipresente


Escolhi a fotografia como objeto de estudo por ter uma admiração muito grande por esta atividade. Saber selecionar uma única partícula de espaço e uma fração de tempo dentre as infinitas possibilidades que temos é o que mais me chama a atenção.
Há também a técnica empregada no momento do clique, o que é tão difícil quanto o talento supracitado. No entanto, a fotografia tem uma relevância que vai muito além de apenas saber o que, quando e como fotografar. É necessário saber o porquê de fotografar e qual mensagem se quer passar com a imagem registrada.
Por requerer o desvendamento de todos esses enigmas (técnica, escolha de objeto, estudo da mensagem...) e por estar em todos os lugares que haja luz, a fotografia é, atualmente, a atividade com a qual mais me identifico.
Para esta pesquisa, usarei três veículos com diferentes posicionamentos sobre a fotografia. Um deles será uma revista especializada no assunto que, obviamente, trata do assunto com maior aprofundamento e cuidado; os outros dois serão jornais impressos diários.
Por se tratar de um tema que, com exceção dos veículos especializados, dificilmente merece ser tratado como notícia, tomarei por prazo edições menos recentes.

Fellipe Gaio.

JARDIM BOTÂNICO







O lugar com o qual mais me identifico em Curitiba é o Jardim Botânico, pois trata-se do primeiro lugar que visitei quando cheguei no Paraná. Foi também palco de alguns trabalhos universitários, como por exemplo um de fotografia que fiz no primeiro ano, das quais tenho essas duas fotos acima. O Jardim Botânico é como se fosse meu oasis para fugir de toda a loucura e stress diário. A quantidade de flores e árvores traz uma sensação de paz e quietude que me faz esquecer de todos os problemas, além de trazer lembranças de minha cidade natal. No botânico eu me sinto em casa, já que para quem é de uma cidade pequena do interior estranha todo o barulho e movimento de Curitiba, por isso o botânico é um excelente lugar para colocar pensamentos em ordem, ler um bom livro, fazer piquenique ou mesmo só para caminhar. Em nenhum outro lugar eu consigo me sentir tão bem e próximo de casa quanto ao Jardim Botânico e por isso ele é o local onde mais me identifico em Curitiba.


Danilo Almeida
Alexandre Senechal
Felipe Martins

Exercício de identidade - Arena da baixada

Escolhi a Arena da baixada porque foi lá que passei os dias mais felizes da minha vida. A paixão pelo Atlético paranaense já vem de família, e me lembro muito bem das vezes em que meu pai me levou ao estádio, ainda na época da velha baixada. Tenho até hoje, guardada como relíquia, um pedaço de tijolo da antiga baixada que ganhei de presente.

Lembro-me como se fosse hoje do maior título conquistado pelo Atlético Paranaense, o brasileirão de 2001. Na época eu tinha 14 anos e passei horas a fio na fila atrás de ingressos para a partida da final entre Atlético x São caetano. Fui ao jogo com meu padrasto e alguns familiares dele. Eu suava frio, não parava de gritar e xingar o juiz da partida. Levei até uns cutucões de meus companheiros atleticanos.

Lembro-me também de 2005, quando o atlético, por joguete político não foi permitido a sediar a final da copa libertadores diante do São Paulo. O clube até tentou . às pressas, construir arquibancdas provisórias, porém sem sucesso. Elas não ofereciam toda a segurança necessária para os torcedores segundo o corpo de bombeiros.

Sendo um dos estádios que serão reformados para o Mundial de 2014, o Jornal GAZETA DO POVO em sua versão online, criou um hot site COPA 2014. Nele consta informações não só locais mas também tudo que está sendo feito para o o mundial a nível nacional.


ANDRÉ VINÌCIUS RECCHIA - 4º período - jornalismo noturno.
YAN CARLOS LONDERO GAZZONI - 4º período - jornalismo noturno.

Exercício de Identidade Cultural em Curitiba: Ônibus



Escolhi o ônibus como objeto pelo qual me identifico, porque passo a maior parte do meu dia dentro de um ônibus, para me locomover a todas as partes de Curitiba, assim como a maioria das pessoas que vivem aqui e em outras cidades. Porém mais do que um meio de transporte, o ônibus para mim é um lugar onde posso ficar sozinha e pensar na minha vida, mesmo com muitas pessoas em volta. É um lugar onde posso me desligar do mundo, ouvir música ou ler um livro, todavia ultimamente, com o meu cotidiano tão corrido e cansativo, o que eu mais faço dentro do ônibus é dormir.

O ônibus para mim remete a minha infância, pois quando eu era pequena e morava em Fortaleza, a maioria não dormia em camas ou berços. O meu berço desde pequena foram as redes. O balanço das redes é como um sonífero para mim. Portanto o balanço do ônibus também me embala constantemente para um sono profundo, sendo as vezes mais gostoso do que a minha cama, não importa se estou sentada ou de pé.

Observando as notícias da Gazeta do Povo, percebi que não existem matérias diárias sobre o assunto, mais pelo menos uma vez por mês (as vezes mais), a Gazeta faz matérias sobre ônibus envolvidos em acidentes. As vezes mudam de viés e fazem matérias sobre o aumento do preço da passagem do ônibus, mudanças das linhas, design dos ônibus novos, ônibus híbridos movidos a eletricidade e diesel, linha verde, greves, prêmios e mais recentemente um assunto que rendeu polêmicas foi a multa que os cobradores de ônibus receberam por improvisar proteções contra o frio e logo após serem ressarcidos e ganharem uniformes novos reforçados com melhor proteção para essas situações.


Links de notícias sobre o assunto


Dia 24/08: http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1161547


Dia 25/08: http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=1162234&tit=Ducci-determina-suspensao-de-multas-a-cobradores-


Dia 26/08: http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=1162341&tit=Suspensas-multas-a-cobradores-


Dia 28/08: http://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/conteudo.phtml?tl=1&id=1162958&tit=Estrangeiros-no-Brasil


Dia 29/08: http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=1163388&tit=Sindimoc-decide-manter-manifestacao-apesar-de-conversas-com-a-Urbs


Dia 29/08: http://www.gazetadopovo.com.br/blog/irevirdebike/?id=1163655&tit=ciclista-e-atropelada-por-onibus-biarticulado-em-curitiba



Feito por: Larissa Montês Matos




Exercício Identidade – A imagem de Curitiba no jornalismo local


Local escolhido: Praça da Espanha
Localização: entre as ruas Saldanha Marinho, Coronel Dulcídio, Dr. Carlos de Carvalho e Fernando Simas – Batel.

Me identifico com a Praça da Espanha pois moro nas redondezas há quase 12 anos. A Praça é um local que descrevo como “palco” de várias atividades culturais – Feira de Antiguidades, Batel Soho, Exposição de carros antigos, Shows, Yôga e atividades para crianças aos sábados, Farol do Saber Miguel de Cervantes, entre outros.
A mídia escolhida para fazer a observação da Praça da Espanha foi o site da Gazeta do Povo. Mediante pesquisa, frequentemente são publicadas reportagens sobre os eventos culturais que acontecem na Praça. Porém, do dia 20 a 29 de setembro, as reportagens foram referentes ao homicídio de dois jovens em frente ao Bar Celebrare ocorrido na madrugada do sábado (20). Nos últimos dez dias o site publicou mais de oito matérias a respeito do ocorrido, desde a notícia factual até os fatos que se desenrolavam perante o caso.
Por morar muito perto e frequentar o local escolhido, percebo que a identidade noturna da Praça da Espanha tem se modificado bastante nos últimos meses. Casos de violência, policiais, assaltos, são fatos que se tornaram comuns na região. Quanto a sua identidade diurna, o lado cultural tem se fortalecido cada vez mais.

Equipe: Maria Elisa Brenner Busch
Mariana Kais de Azevedo
Maruza Silverio Gozer
Miguel Rezende da Silva Neto
Paula Mayra Nunes Lima
Rafaela Carvalho

Alunos: Gabriela Campos, Isabella Rosa, Marília Alberti, Thays Schumacher e Tiago André dos Santos
Jornalismo noturno PUCPR

IDENTIDADE CULTURAL

Rua XV de Novembro ou então, a Rua das Flores. A identidade de Curitiba e a nossa também.
Pessoas, encontros, trabalhos, sons, palco de manifestações sócio-políticas. Mas o que faz com que essa rua seja caracterizada como uma identidade da capital do Paraná? Talvez seja o fato de ter sido, com a criação do calçadão no local, a primeira grande via pública no Brasil exclusiva para pedestres, inaugurada em 1972. Ou então, a parte da arquitetura, com prédios enormes, canteiros de flores e sobrados antigos, juntamente com aquelas construções considerados importantes para a cidade, como o Palácio Avenida, prédio histórico da Universidade Federal do Paraná, Teatro Guaíra e Reitoria da UFPR. A rua também mostra bares conhecidos, artistas de rua, trabalhadores e transeuntes.
Historicamente falando, a Rua das Flores já foi batizada por outros nomes. No ano de 1889, poucos dias após a proclamação da república em 15 de novembro, os camaristas de Curitiba homenagearam o feito de marechal Deodoro da Fonseca com a substituição do nome Rua da Imperatriz pelo atual nome, Rua XV de Novembro.
Com todas essas características é quase impossível não se identificar com alguma delas. Lugar de muito movimento, porém se você quer sossego e tomar aquele café da tarde em uma tarde fria de Curitiba, é só caminhar até a famosa Confeitaria das Famílias. Tradicionalmente espanhola, mais um clássico que completa a Rua mais famosa da cidade.
A junção de todos esses aspectos é o que faz a rua XV de Novembro ser conhecida na cidade e em diversos lugares, atraindo curitibanos e turistas para apreciar o coração de Curitiba.

A PEDREIRA É NOSSA

PEDREIRA PAULO LEMINSKI
Durante a semana que acompanhei as notícias sobre a Pedreira pela internet, percebi que quase nunca um grupo de comunicação importante se manifesta sobre o assunto. O tema é abordado em blogs pessoais e nas redes socias. No Facebook a campanha para a reabertura do espaço, A Pedreira é Nossa, conta com o apoio de 23.149 mil membros. No YouTube são 1092 exibições da reportagem mais atual sobre o local. No Twitter a campanha para completar a frase “Manter a Pedreira fechada é como...” recebeu 6.292 tweets.
A Pedreira está fechada desde agosto de 2008, quando a Justiça acolheu um pedido de liminar interposto pelo Ministério Público do Paraná em nome de 137 pessoas. Contra essa decisão, foi criado o manifesto A Pedreira é Nossa, e um abaixo assinado que alcançou a marca de 17 mil assinaturas.
A antiga Pedreira Municipal de Curitiba transformou-se em espaço cultural, em 1989, para homenagear o poeta, escritor, músico, compositor e publicitário curitibano Paulo Leminski. Com capacidade para 25 mil pessoas, ao ar livre, o local era cenário para espetáculos grandiosos, com a presença de artistas de renome, brasileiros e estrangeiros, entre eles Paul MacCartney, o tenor José Carreras e a banda Pearl Jam, além de muitas outras bandas nacionais e internacionais.
Temos que continuar o manifesto pela reabertura de um dos melhores locais para shows do país pelas redes sociais e fazer muito barulho, porque por enquanto os vizinhos da Pedreira ainda não reclamaram deste “ruído”.

Por Ana Evelyn de Almeida e Lucas Molinari

VOLEIBOL FEMININO - BRASIL

A seleção brasileira de voleibol feminino é uma das melhores do mundo. As meninas fizeram excelentes apresentações no mundial adulto, que ocorreu na China, em Macau. Joguei voleibol durante muitos anos no Círculo Militar do Paraná, acredito que me identifico bastante com o esporte e por isso o escolhi para falar a respeito.
Na última semana as atletas da seleção feminina perderam a final do Grand prix para os EUA,por 3x0, e acabaram retornando ao Brasil com melalha de prata.
Acompanhei as informações divulgadas no site UOL (vôlei- esporte) e pude notar que novidades sobre os jogos eram noticiadas diariamente. Minha análise foi feita do dia 21 ao dia 28 de agosto e pude notar que a todo tempo novas notícias eram postadas. O voleibol está tomando conta do coração dos brasileiros e a determinação dos técnicos e jogadores pela conquista dos títulos estimula a população a se interessar ainda mais pelo esporte. Acredito que esse seja um dos motivos que leve não só o site UOL, mas a maioria dos programas televisivos a comentar sobre José Roberto (técnico) e sua "tropa".

Giancarlo da Silva Andreso. 4º período de Jornalismo - noite

CULINÁRIA/ALIMENTAÇÃO

Diante das 3 matérias coletas na mídia do jornal Gazeta do Povo, nos últimos 5 dias, percebe-se que a preocupação do emissor é maior quanto à alimentação, relacionada com a saúde do que com o laser. Os Estudos Culturais se preocupam com a pesquisa de mercado, com o que busca o receptor e acho que esta maneira de apresentar esse objeto – culinária/alimentação, se reflete dessa observação do público.
Os meios percebem a preocupação cada vez maior com beleza, o corpo perfeito, a alimentação saudável e mostram isso nas suas matérias. O crescimento da obesidade, a não eficácia do chá verde, a proibição dos emagrecedores, são excelentes exemplos. Identifico-me com essa maneira cultura de ver a culinária/alimentação, mas como receptora preciso buscar em outros meios as respostas para minha identidade com a culinária/ gastronomia como lazer.
Vejo que este é um nixo que é pouco explorado pelos meios jornalísticos, mais por revistas e blogs especializados. Se há essa quebra de identidades, como sugere os Estudos Culturais, é preciso que as mídias transpassem sobre o mesmo tema todas as suas visões possíveis. Só assim conseguirão atingir um maior número de receptores. Segundo esta teoria os meios estão preocupados em criar novas identidades, e ajudar nessa quebra de um identidade una. Mas acredito, que no que concerne este objeto, especificamente, não há quebra de identidade, mas sim a busca de informar e reafirmar essa cultura já existe: da busca pela saúde, pelo corpo, pela beleza. Deixando-se de lado outras análises que podem ser feitas.

VIRGINIA CREMA

Fusca, uma paixão nacional

Ao analisar uma coisa, como proposta de trabalho, o Fusca foi o escolhido. Uma análise feita no período de sete dias, compreendendo de 24 de agosto a 30 de agosto. Nela foi observada a frequência com que o Fusca é noticiada nos jornais, e a forma com que ele aparece e é apresentado. Foram três jornais impressos escolhidos Gazeta do Povo, O Paraná e Jornal de Beltrão.
Conhecido mundialmente, o Fusca recebeu um apelido de paixão nacional, um apego que é transmitido de geração em geração. São clubes, exposições, eventos, tudo baseado em fuscas. Como aponta a matéria do Jornal O Paraná, aonde apresenta uma corrida realizada apenas por fuscas, são pilotos apaixonados pelo veículo, que fazem dele mais que um utensílio, um lazer. Sendo a única reportagem que fala a respeito dos fuscas registrada.
Uma cultura advinda da Alemanha que conquistou e conquista o coração dos brasileiros. Várias são as formas de se expressar essa paixão, simples, mais rústico faz parte da cultura brasileira. Impossível andar nas ruas da capital sem ver um só, não por ser barato, pois atualmente é peça de colecionador, mais pelo prazer de circular em uma coisa que formou uma identidade do Brasil.
Apesar de toda essa fama, ele não é tratado na mídia de forma frequente. São raras as reportagens em jornais, mais amplas em revistas, tudo devido ao fato de ser um assunto de grande profundidade histórica.

Jornalismo - 4º Período - Noite
Julio Cesar Glodzienski
Letícia Donadello
Rubia Oliva

Biblioteca Pública do Paraná

A Biblioteca Pública do Paraná foi criada pelo vice-presidente da província José Antônio Vaz de Carvalhares, em 7 de março de 1857, no Lyceu de Coritiba. É uma das maiores bibliotecas públicas do Brasil, seu acervo reúne cerca de 400 mil livros, além de outros materiais. Atende em média três mil usuários por dia e realiza cerca de dois mil empréstimos diários de livros.
Escolhi a Biblioteca Pública do Paraná, pois frequento esse local, não só para emprestar livros, mas também porque gosto do ambiente. Durante o período de 24 a 29 de agosto, acompanhei as notícias referentes à Biblioteca, nos jornais Gazeta do Povo, Tribuna do Paraná e Metro, sendo que no jornal Gazeta do Povo o local teve seu nome divulgado durante todos os dias na seção de exposições, já os jornais Metro e Tribuna do Paraná a noticiaram apenas uma vez, nos dias 23 e 24, respectivamente.
Todas as notícias são referentes à exposição fotográfica “Clics em Curitiba”, com 24 painéis de fotos publicadas no livro de poemas e imagens Quarenta Clics em Curitiba de Jack Pires e Paulo Leminski, que teve seu lançamento no dia 24 de agosto e irá até 24 de setembro.
Observa-se que o local tem importância tanto cultural como histórica no estado do Paraná, faz parte da vida de muitas pessoas, as que passam por ali todos os dias, as que frequentam o local e as que têm seus nomes preservados em suas obras no acervo da biblioteca.

Aline Przybysewski - 4º Período Jornalismo noite

Museu Oscar Niemeyer

O Museu Oscar Niemeyer é um lugar em que eu me apropriei desde que cheguei de Brasília há 4 anos até mais ou menos 1 ano atrás, logo eu me dei conta do porque eu gosto tanto desse lugar. Ele como Brasília minha terra natal foi projetado pelo grandioso arquiteto Niemeyer é como se eu me sentisse perto de uma poesia de concreto. Além de que como eu moro no Cabral ir a pé até o MON fica fácil. Mas infelizmente quando o museu começou a se tornar famoso não havia mais espaço para se aconchegar pela imensa quantidade de jovens que se apropriaram desse lugar a mais ou menos 1 ano, todos eles fazendo uso de bebidas alcoólicas a até mesmo era forte o cheiro de maconha. Eu senti que aquele não era mais só o meu lugar e estava perdendo ele para jovens que a meu ver faziam mau uso do local. Hoje esses mesmos jovens que são da tribo dos alternativos perderam seus lugares para outros jovens que são da tribo dos vileiros ou “manos” e com os meus próprios olhos eu vi crianças de 12 anos bebendo e depredando o local. Por isso hoje o Museu se torna um lugar insuportável onde a segurança está mais rigorosa a ponto de não poder sentar no chão do lado de fora do museu e os jovens mais agressivos.
A mídia apresenta principalmente as exposições do museu e recentemente o acidente que aconteceu no parcão, com o operário que foi soterrado.
24/08
Bienal de Curitiba terá obras do espanhol Josep-Maria Martín
http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?op=lazer&id=243010
Brasil, país invitado en el próximo Fotoseptiembre de México
http://www.arteinformado.com/Noticias/2453/brasil-pais-invitado-en-el-proximo-fotoseptiembre-de-mexico/
25/08
Morre Soterrado em obra atrás do MON
http://www.parana-online.com.br/editoria/policia/news/553831/?noticia=MORRE+SOTERRADO+EM+OBRA+ATRAS+DO+MON
Exposição “Carlos Motta: marceneiro, designer e arquiteto” em Curitiba
http://www.bemparana.com.br/index.php?n=189066&t=exposicao-carlos-motta-marceneiro-designer-e-arquiteto-em-curitiba
29/08
Mostra retrata cenas do cotidiano com olhares diferentes
http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?op=lazer&id=243031
Imóveis no Centro Cívico viram patrimônio histórico do Paraná
http://www.aen.pr.gov.br/modules/debaser/visualizar.php?audiovideo=1&xfid=36723

Maria Elisa Brenner Busch - 4o Período Jornalismo Noturno

Araucária

Através da escolha do município de Araucária como o local com o qual me identifico, a análise foi realizada em todos os telejornais veiculados pela RPCTV na semana entre 22 e 26 de agosto.
Na segunda-feira, 22, a cidade foi citada na reportagem sobre o grave acidente que aconteceu na BR277 em Guarapuava dois dias antes, e deixou 11 mortos, a maioria dos integrantes do microônibus envolvido no acidente eram trabalhadores de Araucária, que voltavam de uma excursão ao Paraguai. A reportagem foi veiculada no Bom Dia Paraná.
No resto da semana nenhuma reportagem do veículo teve Araucária, nem como citação, nem como foco principal da reportagem, a cidade passou o resto da semana no ostracismo da mídia televisiva local.
Isso demonstra um pouco da invisibilidade do município perante a mídia, apesar de sua inegável importância para a economia do estado, contando com grandes empresas como a Petrobrás e a CSN. Araucária é a segunda arrecadação de impostos no estado do Paraná, e mesmo assim não frequenta as mídias locais como deveria e como seria de se esperar.


Daphine Augustini
Felipe Dalke
Jasson Wolff
Jhonny Castro
Raphael Ribeiro

Como o Boxe é veiculado na mídia

Escolhi a academia Boxe Training, daqui de Curitiba para analisar como ela é veiculada na mídia. Como é difícil achar matérias relacionadas apenas à academia em especial, selecionei reportagens sobre o Boxe como esporte mesmo. O Boxe é um esporte conhecido, no entanto, há uma incompreensão e um pré-conceito em relação a esse esporte. Muitos o consideram apenas como "esporte para homens" ou como violência, lutas e sangue. Eu tinha a mesma visão até começar a treinar boxe, e ver que não é assim, é um esporte recomendado para quem quer perder peso, se desestressar e praticar uma atividade física. Me identifico com esse lugar, pois mesmo em pouco tempo que eu frequente lá, já criei uma paixão incrível por esse esporte. As matérias que eu selecionei retratam a atividade do boxe como saúde, o reconhecimento dos profissionais e o evento UFC - Ultimate Fighting Championship, tão frequente na mídia ultimamente por ter sido sediado no Rio de Janeiro.
Golpe nas calorias
http://www.gazetadopovo.com.br/saude/conteudo.phtml?id=950332
Veículo: Gazeta do Povo

Carolina Chinen Machado 4o período Manhã

Campeã mundial de boxe acenderá pira olímpica
Veículo: Prefeitura Municipal de Curitiba
http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/noticia.aspx?codigo=23483

Empolgado com UFC Rio, Dana prevê evento até na Rocinha
http://www.correiodoestado.com.br/noticias/empolgado-com-ufc-rio-dana-preve-evento-ate-na-rocinha_123041/
Veículo: Correio do Estado

MMA + clubes de futebol = fórmula de sucesso!

Sou catarinense, filha de pais gaúchos e sempre torci pelo Internacional de Porto Alegre, e como me identifico com o futebol e com o clube, decidi falar de uma decisão que ele tomou nos últimos dias. Assim como o Corinthians, o Internacional decidiu investir em uma área em constante expansão no Brasil. O Inter fechou uma parceria com o lutador de Mixed martial arts (MMA), Rodrigo Minotauro, que no dia 27 de agosto disputando o Ultimate Fighting Championship (UFC) Rio, venceu sua primeira luta representando o colorado. A minha identificação não está no MMA, apesar de assistir algumas lutas esporadicamente, mas confesso que agora, após essa inteligentíssima ação de marketing, eu acompanharei muito mais por que afinal, o meu time tem seu próprio representante.

Fiz uma análise de 5 dias do jornal Correio do Povo, do Rio Grande do Sul. Escolhi este jornal por que quando morei em Santa Catarina, até meus 12 anos, este era o jornal que eu mais lia, então minha relação com este veículo é muito mais próxima.
Analisei os dias 25, 27, 28, 29 e 31 de agosto e sempre o nome do lutador era vinculado com o clube, de modo que a visualização deste fosse ainda maior.
As matérias foram sempre positivas, falando da parceria do clube com o atleta e também do evento UFC Rio.

O que me impulsionou a escrever a respeito, foi ver como alguns clubes estão “bebendo” da mesma fonte dos clubes europeus, passando a investir cada vez em marketing e diversificando as áreas de investimento. Os clubes não estão agindo somente como times de futebol e essas atitudes, exemplificam que eles estão se portando muito mais como uma corporação. Vendo isso, percebi que o Inter, assim como o Corinthians foram extremamente espertos em fechar parceiras com lutadores de MMA antes das lutas serem disputadas no Rio. Pude perceber na coletiva de imprensa do UFC que os jornalistas entraram sim no assunto do clube e sendo este, um evento internacional, a visualização no exterior aumenta muito mais, aliado, claro, a disputa de torneios internacionais. Fica nítido, então, que o campo de marketing dos clubes de futebol está muito mais atuante, aumentando a arrecadação dos times e alcançando ótimos resultados no campo da propaganda.

Camila Barbieri
Jornalismo - 4º período - noturno

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Agência LINK

Um lugar que eu me identifico bastante é a Agência LINK., pois passo boa parte do tempo lá e sempre estou pensando em coisas relacionadas a ela. A LINK é a Agência Experimental de Comunicação da PUCPR, formada apenas por estudantes das três habilitações da Comunicação Social da PUC. A Agência presta serviços relacionados à área de comunicação tanto para clientes internos quanto externos. Tenho um amor enorme pela agência e me identifico tanto com o espaço quanto com as pessoas que convivo lá.
A LINK não tem espaço na mídia, mas no meio universitário ela é bastante conhecida. O site Clube Universitário já fez matérias sobre ela.

Veículo: Clube Universitário
Carolina Chinen Machado

Parque Barigui

O Parque Barigui fez parte da minha infância pois o visitava quase todos os fins de semana com os meus pais. Inalgurado em 1972, o parque é muito visistado pelos curitibanos e é um ponto turístico reconheçido pelos turistas. O local conta com inumeras atrações ofereçende de belezas naturais, atividades esportivas e culturais até clássico Museu do Automóvel e chega aos eventos, exposições e atividades econômicas através do Centro de Convenções, com dez mil metros quadrados.


http://g1.globo.com/parana/noticia/2011/07/caminhada-medida-certa-leva-multidao-ao-parque-em-curitiba.html
http://g1.globo.com/parana/noticia/2011/07/feira-de-sabores-do-parana-comeca-nesta-quarta-no-parque-barigui.html
http://www.superinformado.com.br/parana/parque-barigui-tera-novo-centro-de-eventos/
http://mais.uol.com.br/view/ciq9n2uk6gb4/curitiba--comeca-reconstrucao-do-pavilhao-do-parque-barigui-04020C1B3160D4C91326?types=A&
http://amigosdoparquebarigui.blogspot.com/

Maria A. Brey - 4º Período de Jornalismo - manhã

Shopping São José

O lugar que escolhi foi o shopping São José, por ser o local onde trabalho e passo a maior parte do dia. Escolhi esse lugar e me identifico com ele pois está localizado na cidade onde moro e onde encontro a maior parte das pessoas que conheço.
O shopping ainda está em processo de reconhecimento pelos moradores de São José, que por muitos anos tiveram que se deslocar até Curitiba para passear no shopping. Por isso, não há tanto movimento como em outros shoppings e ainda há muitas pessoas que preferem ir à Curitiba. Mas cada vez mais as pessoas vem se acostumando com a ideia, e criando o hábito de passear no shopping aqui. É o primeiro de São José dos Pinhais e foi inaugurado em 2007 e conta mais de 150 lojas, incluindo o cinema.
Não há muitas notícias da mídia relacionadas ao shopping, mas a principal que encontrei, foi a da execução de um homem dentro do shopping. É uma notícia do ano passado, mais que ainda repercute quando se fala do shopping São José.
http://http//www.parana-online.com.br/editoria/policia/news/462411/?noticia=EXECUTADO+EM+FRENTE+A+SHOPPING+EM+SAO+JOSE+DOS+PINHAIS
Daniela Maccio

Dom Bosco Ahú.

O lugar de Curitiba com o qual me identifiquei foi o Colégio Dom Bosco na sede Ahú. Estudei nesse colégio desde o Jardim 1 e me sinto conectada emocionalmente com este lugar, uma vez que já passei tanto tempo nele.
O colégio Dom Bosco é bem falado na mídia. Não houve nenhuma matéria que desse a entender que é um colégio ruim para se estudar. 3 matérias que encontrei falavam principalmente sobre as conquistas esportivas de seus alunos. O Dom Bosco incentiva o esporte e até dá bolsas de estudo para alunos que jogarem bem algum esporte. Aliás, uma matéria era extaamente sobre esse projeto, o colégio dá 50% de bolsa para o aluno.
Encontrei quatro matérias que comentaram sobre o fato que o Dom Bosco parece ser pioneiro na exploração de recursos tecnológicos para a educação. Uma matéria comentava que o Dom Bosco foi o primeiro colégio a utilizar quadros interativos em todas as salas. E as matérias mais recentes foram sobre o fato que o colégio distribuiu Ipads para os alunos de 1º ano do Ensino médio.
A ultima matéria que encontrei foi no site do G1 em que comentava que as Inscrições para o Projeto Arquimedes estavam abertas. Nesse projeto, Dom Bosco dá bolsas para os alunos que não tenham condições de pagar o colégio. Portanto podemos perceber que essa intituição de ensino esta na mídia curitibana não regularmente, porém quando está sendo pautada é sempre sobre coisas boas que incentivem alunos a irem estudar no colégio.

Beatriz Zanelatto
4º Período Jornalismo PUCPR

Jardim Botânico

O Jardim Botânico Fanchette Rischbieter é sede de um centro de pesquisas sobre a flora paranaense. É o segundo parque mais visitado de Curitiba - atrás apenas do Barigüi. Com área total de 278 mil m², 40% composta por uma mata fechada com vegetação capões, típicos da região. Dentro da mata, há uma nascente que integra a bacia do rio Paraná, além de espécies como imbuia, xaxim e representantes da floresta atlântica.

Como atração principal, o local tem uma estufa de 420 m² feita de ferro e vidro inspirada no Palácio de Cristal de Londres. Dentro dela, há plantas características de regiões tropicais como caête, palmiteiro, pindaíba e caroba.

Ao redor da estufa está o “Espaço Frans Krajcberg”, temporariamente fechado para reformas. Com 1.740 m², abriga exposições de plantas como orquídeas, bromélias, ikebanas e bonsais. Em frente, há grande jardim com arquitetura inspirada nos jardins franceses.

O Jardim Botânico possui um “Museu Botânico Municipal”, espaço dedicado para realização de trabalhos científicos. Há também a “Sala de Educação Ambiental”, com exposição permanente da flora local. Neste espaço, tem um salão para exposições temporárias como orquídeas e outros tipos de plantas.

O visitante poderá encontrar também um “Jardim de Plantas Nativas”, espaço com bancos para descanso e chafariz que abriga espécies como jerivá, bromélia rainha e manacá-de-cheiro. Tem também o “Jardim das Sensações”, espaço delimitado por cercas vivas que tem por objetivo sintetizar os elementos da natureza. Neste espaço, é permitido tocar nas plantas com mãos e pés a fim de sentir a texturas e estimular outros sentidos como olfato. Feito não só para deficientes físicos, o espaço incentiva o uso de vendas nos olhos para melhor percepção.

O parque oferece um espaço anexo com quadras de futebol e vôlei de areia, um velódromo e três quadras de tênis. Possui pista de caminhada, além de um espaço com equipamentos de tonificação muscular e alongamento. As trilhas por dentro da mata estão permanentemente fechadas ao público. Possui um bistrô, onde são vendidos salgados, picolés, refrigerantes, sucos e balas. Há uma loja de souvenir de Curitiba como camisetas, artigos de artesanato e canecas típicas, entre outros.

GAZETA DO POVO

/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Flores do Jardim Botânico são adaptadas à estação

Para garantir o cenário colorido e florido, os funcionários precisam trabalhar muito

    RPC TV
    /////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
    Prefeitura restaura portal e troca 130 mil flores do Botânico
    O ESTADO DO PARANÁ
JOÃO PAULO GARCIA TELES

Café Babette

Especializado em pratos e lanches típicos da cozinha francesa, é o lugar de Curitiba no qual me identifico. Localizado na rua Prudente de Morais, no Centro, o café Babette é calmo e aconchegante. O restaurante está localizado na frente da escola Aliança Francesa, onde tenho aulas de francês, todas as terças e quintas-feiras.
É muito frequentado por alunos e professores da instituição, além pessoas que moram na região. O lugar realiza eventos todo mes, e traz aspectos da cultura francesa a capital.


www.cafebabette.blogspot.com
vejabrasil.abril.com.br/curitiba/comidinhas/cafe-babette-35478
guia.gazetadopovo.com.br/cafes/cafe-babette/794/
www.facebook.com/pages/Babette-Café/113424948733055


Diana Araújo
4º Período - Jornalismo

Bosque do Papa



O bosque foi inaugurado em 1980, após a visita do papa João Paulo II (1920-2005), a Curitiba. Envolve uma área de 48 mil m², onde existia uma antiga fábrica de velas. O Memorial da Imigração Polonesa, está instalado nas clareiras do Bosque. Reconstitui-se o ambiente em que viveram os pioneiros imigrantes poloneses, que chegaram em Curitiba por volta de 1871. É um museu ao ar livre que traduz a luta, as crenças, as tradições e estilo de vida daqueles imigrantes.

O bosque tem pouco espaço na mídia. A cobertura jornalística trata geralmente de eventos culturais, festas, encontros e reuniões de descendentes. Embora o Bosque também conte com área de preservação da mata nativa, trilha ecológica e ciclovia.

As ultimas notícias sobre o bosque falavam sobre a festa que aconteceu no ultimo domingo, 28 de agosto. O Memorial da Imigração Polonesa sediou a comemoração de Nossa Senhora de Monte Claro Czestochowa, padroeira da Polônia. A tradicional festa da comunidade polonesa, contou com quermesse de produtos típicos, entre eles pierogi, broas, crem, rolady, e doces como makowiek e marzki. A festa também contou com apresentações de grupos folclóricos, solenidades religiosas e exposição de relíquias e fotos.

Veiculado pela Band - http://www.band.com.br/curitiba/conteudo.asp?ID=523255

Em maio de 2011, foi veiculado pela RPC a homenagem pela beatificação do Papa João Paulo II, Karol Wojtyla, que nasceu na Polônia em 1920 e morreu em 2005. A celebração reuniu dezenas de pessoas, que fizeram orações e entoaram cantos, entre ele "A Bênção, João de Deus", composto para a visita do papa ao Brasil.

http://g1.globo.com/parana/noticia/2011/04/bosque-de-curitiba-tera-vigilia-pela-beatificacao-do-papa-joao-paulo-ii.html

Foi noticiado pela RIC, em outubro de 2008 a reforma que estava sendo feita no bosque, como tratamento da madeira, por causa da praga de cupins. As madeiras foram tratadas e as casas foram remontadas exatamente como eram originalmente.

http://www.clickric.com.br/ric.com/videos_busca_player.asp?chave=bosque%20do%20papa&estado=pr&id=553&estado_sel=pr


Isabelle Warzinczak

4º Período – Jornalismo Manhã

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS


A minha igreja é o lugar com o qual eu me identifico porque, desde que eu me entendo por gente, os meus pais me falaram sobre o amor de Deus contido nas Sagradas Escrituras, no conhecido texto de João 3:16 que diz: “Por que Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Eu sou uma testemunha viva do poder de Deus, pois quando bebê eu fui desenganada pelos médicos, então minha mãe fez um voto e me entregou a serviço de Deus, digamos, como Samuel, para exemplificar. Fui curada e desde então recebi o dom de cantar, tornando-me levita (pessoa que se dedica ao ministério do louvor). Depois da minha casa, o lugar que mais freqüento é a minha igreja, ali me sinto bem, pois é um lugar onde as pessoas vão adorar a Deus em gratidão e buscar resposta às suas preces, quando em aflição. Sou regente de dois corais em minha congregação, a música é o ar que eu respiro.

Orgulho-me por pertencer a uma denominação fundada em 1910 em Belém do Pará por dois missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren, expandindo por todo país e que completou cem anos de existência no Brasil no mês de Junho deste ano. A minha maior alegria é saber que sou participante desta festa, visto que junto com a minha comunidade , procuramos levar alento a pessoas que sofrem, anunciando as boas novas de salvação como Jesus ensinou e sabemos que ao mesmo tempo contribuímos para que a sociedade seja mais justa e feliz.

Reflexão: Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor!

Edições pesquisadas:

Reportagens sobre o Centenário das Assembléias de Deus no Brasil

Veículos: Rede Globo, Record e Band

http://www.youtube.com/watch?v=AHGsOqFR_tI

http://www.youtube.com/watch?v=F9j1FRpz1bs&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=rifQS8j_714

Jornal impresso:

http://www.cpadnews.com.br/integra_mp.php?s=16&i=971


Aluna: Gleize Perez
Jornalismo 4º Período - Manhã

O TORTO (BAR)


O TORTO BAR

Eu me identifico muito com esse bar pois é um lugar muito interessante, onde o maior movimento, por incrivel que pareça, ocorre fora do ambiente. As pessoas apenas compram a bebida dentro do estabelecimento mas consomem do lado de fora, conversando, dando risada, etc. Geralmente os frequentadores são pessoas simples que vão desde jovens até pessoas de mais idade, e tanto em dias de semana quanto aos finais de semana o bar fica lotado e é possivel ver a "aglomeração" de pessoas de longe. Além de um lugar tranquilo, por sua boa localização (centro) fica perto de inumeras baladas, portanto, as pessoas se reunem neste bar para fazer o famoso "esquenta" e depois partir para outro lugar mais badalado, mais ainda há quem prefira ficar pela rua mesmo, tomando a sua cerveja tranquilo.


GUSTAVO RITTMEYER AUSTIN CASTRO DE ALMEIDA
JORNALISMO - MANHÃ

Paço da Liberdade

O Paço da Liberdade foi construído no início do século XX e após ter sido a sede do gabinete de 42 prefeitos e do Museu Paranaense, o prédio da antiga Prefeitura de Curitiba foi restaurado em 2009 pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac. Desde então, o prédio abriga bibliotecas livraria, café cultural e musical, sala de cinema, estúdio de música e sala de exposições. O que mais me atrai no Paço são os projetos (oficinas, exposições, mostras e shows) relacionados a música e produção audiovisual, além do ótimo café e espaço agradável.

A realização de atividades, como cursos, concertos e exibições de filmes, é divulgada no guia de programação impresso e pelas mídias sociais. Os grandes veículos também costumam fala sobre os eventos realizados no Paço, mas é na internet , pelas redes sociais e blogs que o local recebe maior divulgação e feedback dos freqüentadores. Recentemente, o Café do Paço foi listado entre os melhores cafés de Curitiba pela Revista Veja.