quarta-feira, 31 de agosto de 2011

CULINÁRIA/ALIMENTAÇÃO

Diante das 3 matérias coletas na mídia do jornal Gazeta do Povo, nos últimos 5 dias, percebe-se que a preocupação do emissor é maior quanto à alimentação, relacionada com a saúde do que com o laser. Os Estudos Culturais se preocupam com a pesquisa de mercado, com o que busca o receptor e acho que esta maneira de apresentar esse objeto – culinária/alimentação, se reflete dessa observação do público.
Os meios percebem a preocupação cada vez maior com beleza, o corpo perfeito, a alimentação saudável e mostram isso nas suas matérias. O crescimento da obesidade, a não eficácia do chá verde, a proibição dos emagrecedores, são excelentes exemplos. Identifico-me com essa maneira cultura de ver a culinária/alimentação, mas como receptora preciso buscar em outros meios as respostas para minha identidade com a culinária/ gastronomia como lazer.
Vejo que este é um nixo que é pouco explorado pelos meios jornalísticos, mais por revistas e blogs especializados. Se há essa quebra de identidades, como sugere os Estudos Culturais, é preciso que as mídias transpassem sobre o mesmo tema todas as suas visões possíveis. Só assim conseguirão atingir um maior número de receptores. Segundo esta teoria os meios estão preocupados em criar novas identidades, e ajudar nessa quebra de um identidade una. Mas acredito, que no que concerne este objeto, especificamente, não há quebra de identidade, mas sim a busca de informar e reafirmar essa cultura já existe: da busca pela saúde, pelo corpo, pela beleza. Deixando-se de lado outras análises que podem ser feitas.

VIRGINIA CREMA

Um comentário:

celina disse...

ótimo estudo (especialmente o impresso).