terça-feira, 22 de novembro de 2011

Pierre Bourdieu


O sociólogo francês Pierre Bourdieu (1930-2002) empenhou-se nas lutas sociais e debates públicos, onde, no passado, se destacaram também Émille Zola e Jean-Paul Sartre e dedicou-se aos estudos dos meios de comunicação e política.
Bourdieu, que estudou Sociologia no Collège de France e lecionou na mesma instituição a partir da década de 1980, publicou mais de 300 obras, entre elas “A Distinção” (1979) e “Sobre a Televisão” (1996). O sociólogo propôs a criação de uma nova sociologia inserida na sociologia.
No campo da Comunicação, Bourdieu, criticou os meios de comunicação. Para o autor, os meios estão subordinados aos assuntos comerciais, deixando de produzir conteúdo com qualidade e voltado à cultura. Ele também critica os jornalistas e chama de fingidores os jornalistas que se dedicam a escrever relatos considerados biográficos do que noticiam. Bordieu diz que estes jornalistas fogem da realidade e, assim criam uma ilusão e assim narra “o relato coerente de uma seqüência de acontecimentos com significado e direção” (Bourdieu, 1998, p. 185). Sendo assim, insere no fato contado os valores notícia proximidade e identificação.
O sociólogo foi tema do documentário “Sociologia é um esporte de risco” um ano antes de morrer de câncer (2002). A morte de Bourdieu foi amplamente comentada pela imprensa européia.



Maria A. Brey

Um comentário:

celina disse...

ok correções. texto bem desenvolvido.