quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Comunicação, seus significados e funções.

Segundo Said Farhat, o objetivo da comunicação social é criar, direcionar e/ou consolidar determinadas imagens ou conceitos, novos ou preexistentes, na mente do público-alvo – seja o grande público, sejam segmentos especiais deste, ou, com frequência, modificar, redirecionar ou substituir determinada imagem e/ou conceito por outra(s) e/ou outro(os). Assim: nos casos de preexistência de uma imagem boa, a tarefa é reforça-la, consolidar seus fundamentos, dilatar os horizontes humanos e geográficos do seu reconhecimento; quando a imagem preexistente é ruim, ou distorcida, o objetivo passa a ser retificar, consertar, refazer, reconstituir, reconstruir, substituir a velha imagem por uma nova; onde nenhuma imagem havia antes, criar determinada imagem – de uma ideia, proposta, grupo, ideologia, partido, empresa, produto, modos de ser e de viver; em qualquer caso, reforçar e dar relevo aos pontos “positivos” da imagem e, a contrario sensu, desenfatizar os “negativos”.

Os meios, também chamados de veículos de comunicação social, classificam-se em duas grandes categorias: os formais e os informais. E, entre uns e outros, os diretos e os indiretos, como será analisado logo abaixo.

Os meios formais são os clássicos e bem conhecidos: o jornal, a revista, o rádio, a televisão, os cartazes e painéis, ao ar livre e/ou nos meios de transporte- referidos coletivamente como a mídia, ou a imprensa, mais a mala-direta (propaganda pelo correio, para destinatários selecionados), folhetos, panfletos, etc.

Dos meios de comunicação informais, o mais notável é a word of mouth, a tradição oral, a conversa ao pé do ouvido, a informação transmitida sem cessar, de pessoa a pessoa, no perpétuo e insubstituível comércio de ideias que se trava dentro de qualquer grupo social, grande, m´dio, pequeno – dos mais sofisticados aos mais simples. Ou, em sua versão perversa: o boato, o rumor, a versão cavilosa dos fatos.

Os meios diretos utilizados na comunicação soial compreendem, conforme o caso, todos ou uma seleção dos veículos existentes no âmbito geográfico e social que constitui o alvo das campanhas e, principalmente, os meios clássicos, citados acima.

Os meios indiretos abrangem uma infinidade de variações em torno da promoção do objeto da campanha de comunicação social, principalmente: a demonstração das qualidades e vantagens do que se pretende vender, acompanhada ou não de amostras grátis dos produtos e serviço; o merchandising, entendido no brasil em sentido restrito, como a menção (em sentido não comercial) dos produtos, temas, serviços, nos meios de comunicação (a novela de televisão e outros programas): o marketing que é a propaganda mais os meios e instrumentos de promoção de vendas: os programas de introdução de um novo produto, serviço ou ideia, ou de ampliação da sua penetração e de consolidação da fidelidade dos consumidores ao produto ou à sua marca, seu fabricante, etc.

Os instrumentos e atividades de comunicação social abrangem, entre outros: a propaganda, a publicidade, a divulgação, as relações públicas e com a imprensa, planfletagem, marketing, eventos, patrocínio de atividades culturais e/ou esportivas, participação na vida social, amostragem de produtos e serviços, propaganda direta porta a porta, concursos e competições, com ou sem distribuição de brindes, patrocínio de atividades culturais, beneficentes, esportivas, e outras pro bono publico.

As formas da comunicação social varia,, de acordo com: entre outros, o objetivo que se promove, as características sociais, culturais e econômicas do publico a que se dirige, o âmbito geográfico em que se desenvolve o programa , etc. Assim, dá-se a designação genérica de comunicabilidade à capacidade de quem se comunica e traduzir a sua mensagem em termos e formas adequados à vivência e às experiências comuns ao universo dos que a recebem; e , portanto, tornar compreensível e aceitável o que diz.

Fontes:

FARHAT, S. Dicionário parlamentar e político. Editora Melhoramentos.

http://books.google.com.br/books?id=8RZOrdXDxG4C&printsec=frontcover&hl=pt-BR#v=onepage&q&f=false

Alunas: Bianca Luiza Thomé, Carolina Cachel, Letícia da Rosa e Mayara Duarte.

3º período de Comunicação Social - Jornalismo, manhã.

Um comentário:

celina disse...

não tinha visto, mesmo...
ok a intenção de buscar uma fonte mais diferenciada.
pra próxima, busquem autores mais próximos da nossa linha de trabalho.
vcs fizeram uma citação ou mudaram o texto?