quarta-feira, 14 de março de 2012

Paradigmas da Comunicação: conhecer o quê?

O texto de Vera França faz uma reflexão sobre vários aspectos da comunicação; qual é o seu objeto, a interdisciplinaridade, correntes de estudo, paradigmas, papel do comunicador e outros.

O ponto que mais chamou a atenção do grupo neste texto foi a função do comunicador, não só como mero intermediador de diálogos e sim um profissional responsável por formar opiniões com seus textos e ações. No entanto a imagem desse profissional muitas vezes é desvalorizada, seja por conta da interdisciplinaridade presente na comunicação, que abrange várias disciplinas. Neste contexto podemos citar o exemplo que Vera França coloca em seu texto sobre qual função o especialista de comunicação exerceria em um debate: “Comentávamos a ausência de alguém da área da comunicação, indagando: mas ele teria alguma coisa a dizer, além do que os especialistas convidados já estariam dizendo? O papel do especialista em comunicação não seria exatamente promover o debate, ou seja, fazer dialogar vários lugares?” A autora afirma que essas duas perguntas são falácias, pois: “Supor que o nosso saber já está contido no saber dos especialistas convidados (...)Não é verdade; também o saber que eles detêm é em grande medida compartilhado – só que traduzido de forma própria“ e a outra afirmação é que o conhecimento do comunicador não é operacional, é muito mais que mediar falas. “Nossa reflexão incide sobre esse momento fugaz em que a cultura, os valores, os desejos e as fragilidades que habitam a vida social e existência concreta dos homens tomam formas, são recriados, modificados e, enquanto representações, são reapropriados, se convertem em modelos, retomam enquanto em novas imagens, refletem nos comportamentos e nos corpos – e assim sucessivamente”

Bianca Luiza Thomé, Carolina Cachel, Letícia da Rosa e Mayara Duarte. Jornalismo - manhã - 3º Período

Um comentário:

celina disse...

ótimas considerações finais.