quinta-feira, 19 de abril de 2012

Considerações sobre o texto "Teorias da Comunicação: Hipodérmicos tardios versus funcionalistas inconscientes"


 O texto de Juramir Machado da Silva expõe aspectos das teorias hipodérmica e funcionalista. O autor enxerga os hipodérmicos como aqueles que não conseguem deixar de acreditar  na manipulação da mídia, o contrário dos funcionalistas, que não enxergam a manipulação. Os hipodérmicos enxergam a mídia como sendo muito poderosa e os receptores como fracos, logo a mídia é manipulatória.
 Já os funcionalistas, acreditam que o receptor é forte, assim o público tem o poder de selecionar aquilo que deseja acessar, as informações que lhe interessam. Também não percebem a mídia como forte.
 Os hipodérmicos são considerados pessimistas e os funcionalistas otimistas, ou seja, como os hipodérmicos acreditam em manipulação e receptor fraco, entendem que a população não conseguirá escolher aquilo que quer consumir, e os funcionalistas tem em mente que a público consegue selecionar e acessar aquilo que e de seu interesse.
 Machado classifica grande parte dos jornalistas como funcionalistas, também quando ele fala da opção por ser funcionalista, ele conclui que tem gente que assume esse papel por falta de conhecimento. Há uma crítica presente no texto em relação aos jornalistas que desconhecem certas teorias ligadas a comunicação.
 Mesmo com todas as diferenças apontadas pelo autor sobre as duas teorias, ele coloca algumas semelhanças entre elas, como a importância dada aos receptores e aquilo que é passado para ele.
 Para finalizar ele dá a entender que enquanto os hipodérmicos discutem sempre as mesmas coisas e os funcionalistas que às vezes nem porque assumem essa postura, o público fica de lado, mudando de canal, procurando o que ver.

Equipe: Natalia Concentino, Deivid Simioni, Rosana Moraes, Rodolfo Kowalski, Caio Rocha e Ruthielle Borsuk.

Um comentário:

celina disse...

ok, optaram por fazer uma leitura pontuando o texto.