quinta-feira, 18 de outubro de 2012

O consumo serve para pensar - Néstor Canclini

No texto “O consumo serve para pensar”, o autor Néstor Canclini traz uma reflexão sobre como o consumo afeta a sociedade. A cidadania está diretamente ligada ao poder de consumo. Sendo assim, ele propõe uma reconceitualização do consumo a partir de uma teoria sociocultural que redefine a grande força dos meios de comunicacão de massa como manipuladores desse consumo. Para Canclini, consumir deixa de ser um ato irracional e se transforma em uma ação social e cultural. Segundo ele, a opção por alguns produtos acaba sendo simbólica e determina papéis que pretendemos seguir e as comunidades as quais pertencemos. Uma das maneiras de mostrar como nos comunicamos é por meio das roupas e objetos que consumimos, e isso acaba apontando a qual “grupo” pertencemos ou gostariamos de pertencer. 
Com base nisso, escolhemos uma matéria que aponta o consumismo exagerado por parte da população. A matéria diz que até o fim do ano, os brasileiros devem gastar mais de R$ 17 bi com bebidas(alcoólicas e não alcoólicas), segundo Pesquisa do Ibope. Isso mostra como é grande o consumo no país, porém ao relacionar a reportagem com Canclini percebemos os dois principais aspectos citados por ele: a cidadania e o consumo. Nesse caso, percebemos que o consumo, quando exagerado, deixa de ser uma necessidade e se torna, de certa forma, uma maneira de se comunicar com o mundo. Por exemplo, um jovem pode criar o hábito de beber compulsivamente pois assiste televisão, e os programas mostram outro jovens fazendo isso, sendo que esses são considerados os 'populares'. Então o jovem, para se sentir bem consigo mesmo cria um hábito que não é de sua natureza para que as pessoas gostem dele, acreditando que assim ele conquistará seu lugar em determinado grupo, querendo assim, usufruir de sua cidadania.

Link:http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/10/brasileiros-devem-gastar-mais-de-r-17-bi-com-bebidas-ate-fim-do-ano.html

Comunicação Social - Jornalismo
4º período
Ariane Priori, Bianca Santos, Nivia Maria e Samara Macedo

Um comentário: