segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Paul Virilio


Filósofo, urbanista e sociólogo. Tornou-se um dos pensadores de referência da contemporaneidade, desenvolvendo uma reflexão inovadora sobre as questões da tecnologia relacionando os meios de comunicação, a guerra da informação e o mundo cibernético.

 Tecnologia
      O primeiro motor (vapor – máquinas da revolução industrial)
      O segundo motor (explosão – carros, aviões e máquinas)
      O terceiro motor (elétrico – cinema, turbina, geradores)
      O quarto motor (foguete – satélites, espaço)
       Cada motor modifica o quadro de produção de nossa história e também modifica a percepção,  a informação e relação com o mundo.

Não se vai junto da janela para a abrir, basta carregar o botão. Há pois uma espécie de referência a um corpo deficiente e não a um corpo locomotor. Reações de estupefação face ao fato de os válidos utilizarem técnicas destinadas a deficientes que sofriam, por exemplo, por não poder deslocar-se para abrir uma janela.  (…) Outrora, quando se queria saber o tempo que fazia, olhava-se pela janela e via-se se fazia bom tempo ou não. Hoje, liga-se  a televisão e têm-se as informações e a meteorologia

Jornalismo e Consumo

-          Meios de comunicação como extensão do corpo
Gélido imobilismo, sedentarismo domiciliar
Reflexão baseada na adoção dos meios de comunicação como extensão de nosso corpo para garantir uma maior facilidade de ações que poderiam ser feitas normalmente. Essa adoção gera , segundo Virilio, um sedentarismo domiciliar.

-Quanto mais as nossas deslocações no tempo e no
espaço se aceleram e se dissociam do corpo, mais a nossa visão da realidade se torna
difícil.

Virilio aponta uma perda de realidade, noções de espaço, tempo no sentido que a quantidade de informações e o quanto nós adotamos as tecnologias para atribuírem funções que nossos corpos anteriormente atribuíam, faz com que nós percamos essas percepções.

Considerações finais:
O autor considera que vivemos uma época extraordinariamente dinâmica,
animada por constantes mutações que resultam das inovações tecnológicas que surgem a todo o momento e que alteram o nosso cotidiano, sem que tenhamos tempo para nos questionarmos acerca do alcance das mesmas, e muito menos das vantagens e desvantagens da utilização das tecnologias da informação e comunicação na sociedade.   As novas tecnologias da informação são tecnologias do estabelecimento de redes das relações e da informação e, enquanto tais, veiculam muito evidentemente a perspectiva de uma humanidade unida, mas também de uma humanidade reduzida a uma uniformidade. 


Caio Henrique Rocha
4ºP/Jornal - Manhã

Nenhum comentário: