domingo, 17 de março de 2013

Teoria da Comunicação Literária


Processo de transmissão de um texto literário, escrito ou oral, de um autor para um leitor ou receptor. A comunicação literária escrita processa-se in absentiade (na ausência) de um dos intercomunicantes; a comunicação literária oral faz-se geralmente in praesentia (presencialmente), como na comunicação linguística. Em termos metafóricos, diríamos que a comunicação linguística exige a presença de um espectador e a comunicação literária parte da sua ausência. Como observa Aguiar e Silva, na comunicação literária, “a ausência de uma das referidas instâncias reforça poderosamente a atenção que a outra instância consagra à mensagem, [...] já que na codificação e na descodificação desta residem as garantias mais sólidas de superar os efeitos comunicacionais negativos resultantes da defectividade.” (AGUIAR E SILVA, Vitor Manuel de. Teoria da Literatura, 4ª ed., Almedina, Coimbra, 1982, p.194)

A comunicação literária é mais complexa do que a comunicação linguística por envolver uma rede de relações ambíguas entre os seus interlocutores: o código do emissor-autor pode não ser reconhecido pelo leitor-receptor, mesmo que pertençam à mesma comunidade linguística; a descodificação da mensagem literária depende de fator subjetivos e ideológicos; o texto literário é marcado pela conotatividade e pela plurissignificação, o que pode impedir a comunicação; a mensagem literária é mais marcada por fatores culturais e sociais do que uma mensagem não literária, além de que, por norma, utiliza o livro impresso como meio de transmissão, o que implica a dependência de terceiros (editores, livreiros, distribuidores) no processo de comunicação literária.



Alunas: Beatriz Pacheco, Helem Barros, Gabriela Oliveira, Laura Espada e Livia Andersen
          3º período/diurno

Um comentário:

Celina Alvetti disse...

como vcs apontam, literária...