sexta-feira, 6 de junho de 2014

Paixão do brasileiro pelo futebol

O que para uns é loucura, para outros é mais do que uma paixão



Estava fazendo a cobertura de um jogo de futebol em São Paulo, quando me deparo com um personagem ilustre, daqueles que não tem tempo ruim daqueles que estão sempre com o um sorriso estampado em seu rosto, daqueles que não importa a circunstância sempre está de bom humor e entusiasmado.

O amor do brasileiro pelo futebol é algo indescritível, pois os torcedores são capazes de fazer diversas loucuras para acompanhar o seu time do coração, como a de sair de seus aposentos todos os finais de semana e viajar vários e milhares de quilômetros para uma partida de futebol que, para muitos seria uma “simples partida de futebol” mas que para outros, valem vidas. Estar presente na rotina do seu time parece algo muito distante da realidade, mas para este personagem não é.

" Binha de São Caetano torcedor iluste"
O instrumentista de 54 anos, Flávio Alexandre, é um dos personagens mais ilustres das torcidas brasileiras, mais conhecido como “Binha de São Caetano”, Flávio é torcedor do Esporte Clube Bahia e viaja com o time para todos, isto mesmo, TODOS os jogos, independente da cidade, do estado ou até do país que o Bahia jogue. Binha e famoso entre os torcedores por sua simpatia e seu otimismo, para ele, o Bahia é o melhor time do mundo e confia na conquista de títulos. Binha é tricolor bahiano desde criança por influência dos seus pais e avós, começou a frequentar estádios ainda bebê e a acompanhar o time juntamente de seus pais. Com o passar dos anos, essa paixão foi ficando cada vez maior e isso resultou no grande torcedor que Binha se tornou.

Residente em Salvador-BA, o torcedor relata que já passou por algumas dificuldades para poder ir aos jogos, mas que essas dificuldades não o desanimaram e Binha continuou sua jornada pelo Brasil para acompanhar o seu time. “Viajo com o Bahia em todos os jogos, em todo território nacional. Graças a Deus eu vou em todos os jogos com a minha simplicidade, a minha humildade e a minha modéstia. Torço para o Bahia desde que nasci, minha família torce, e eu só vou deixar de torcer quando eu morrer. Eu amo o Bahia verdadeiramente, eu amo o Bahia de coração e não importa a divisão, porque eu tenho certeza que esse ano o Bahia irá ganhar a Copa do Brasil e a série A, e ano que vem a Libertadores e o Mundial. Eu enfrentei várias dificuldades financeiras para acompanhar o Bahia, mas agora tenho alguns empresários que me ajudam, pois o clube não me fornece este apoio, às vezes alguns conselheiros me ajudam. Já tive muitas decepções mas isso não diminuiu meu amor, porque o Bahia é o melhor do mundo, melhor que o Real Madrid, melhor o Barcelona e melhor que a Inter de Milão”, comenta o torcedor.
 
Por: Saila Caroline Rodrigues - Jornalismo - 2° período / Anônimos

Um comentário:

Celina Alvetti disse...

demonstra um olhar atento para uma personagem peculiar. bacana.