segunda-feira, 6 de outubro de 2014

"A hipótese de newsmaking"



Em seu estudo, Hohlfeldt aborda a questão do newsmaking, que seria o processo pelo qual o assunto vira notícia. Porém, para melhor compreensão do requerido, devemos ter em mente os conceitos de gatekeeping e agendamento; sendo o primeiro designado aos jornalistas que produzem a notícia e o segundo, aos meios de produção.

O newsmaking se dá como um processo de filtragem da informação, porém, há categorias pré-estabelecidas que os determinam, sendo eles relativos ao que irá chamar atenção do leitor, seguindo padrões de contextualização (técnica). Entretanto, Hohlfeldt menciona que esses critérios, além de diversificados, possuem subcritérios dos mais diversos tipos.

Hohlfeldt destaca cinco principais categorias, subdivididas em diversas outras. Dentre as principais categorias temos: categorias substantivas, que são relativas a quem está envolvido na notícia, dando prioridade a hierarquias, número de pessoas envolvidas e seu impacto sob o receptor e também, a relevância, pois nota-se que uma notícia que tem motivos para ser publicada sob diversos ângulos/fatores é de certo apreço. As categorias relativas ao produto, ou seja, relativas à própria notícia, giram em torno do veículo de comunicação, pois o mesmo dispõe de deadline e limites geográficos, assim como as categorias relativas aos meios de informação (sua estrutura e a qualidade que é atribuída a informação). Há também, as categorias relativas à concorrência, na qual a sincronia entre os veículos importa, pois assim, o agendamento de cada um se torna mais fácil e possibilitam furos de reportagem; além de, segundo o autor, os veículos assumirem uma postura mais conservadora, por seguirem a tradição. Porém, por último e não menos importante, existem as categorias relativas ao público, na qual, os veículos midiáticos demonstram certa preocupação perante seus leitores, já que não querem causar o pânico e pretendem informar. Porém, Hohlfeldt critica duas dessas categorias, por parte dos jornalistas que desconhecem seu público e muitas vezes, misturam seus interesses como se fossem de todos. O autor também salienta a ligação dos jornalistas com as fontes; essas, que também possuem interesses e podem muitas vezes influenciar o jornalista, porém, ai entra sua capacidade de apurar determinado fato.

Logo, podemos concluir que o processo de newsmaking esta ligado ao porque de determinado assunto virar notícia, já que os meios de comunicação dispõem desses fatos e constroem a realidade ao seu redor.

Por Loraine Mendes

Um comentário:

Celina Alvetti disse...

ok,

só obs - assunto x fato